Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Investidores mantêm aposta no ouro em níveis da crise financeira

O investimento em ouro está a aumentar ao ritmo registado durante a crise financeira, com os investidores a manifestarem-se nervosos em relação a potenciais surpresas negativas nos mercados.

Reuters
Patrícia Abreu pabreu@negocios.pt 28 de Março de 2016 às 10:44
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

O clima de instabilidade nos mercados financeiros está mais calmo, mas nem por isso os investidores mundiais desarmam. Tal como vem acontecendo desde que o ano começou, os níveis de investimento em ouro continuam a aumentar, com o capital investido no metal precioso a subir para o nível mais elevado desde 2009.


Apenas nas últimas 11 semanas os investidores aplicaram 13,4 mil milhões de dólares em activos de ouro, segundo números do Bank of America Merrill Lynch, citados pela CNN Money. Trata-se do maior ciclo de entrada de investimento semanal no metal desde a crise financeira, com os investidores a continuarem a manifestar-se nervosos em relação ao crescimento económico.


O metal precioso, habitualmente identificado como um activo de refúgio, tem assistido a fortes volumes de investimento desde o início do ano. O ouro valoriza cerca de 15% em 2016, batendo as acções e as obrigações no mesmo período.


Esta aposta no metal dourado surge, porém, num momento em que os mercados accionistas têm vindo a recuperar dos mínimos de Fevereiro, sustentados pelos sinais de estabilização na economia global, pelo aumento dos estímulos na Europa e a promessa de um ritmo de subida de juros mais lento nos EUA.


Os investidores mostram assim que continuam nervosos em relação à incerteza que permanece nos mercados e preocupados com a possibilidade de "surpresas desagradáveis", refere Kevin Norrish, analista do Barclays, numa nota recente.


Mínimos de um mês


Apesar do forte volume de investimento que tem captado, o metal precioso segue esta segunda-feira, 28 de Março, a negociar em mínimos de um mês. A matéria-prima cede 0,7% para 1.208,38 dólares por onça, valor que não visitava desde o passado dia 23 de Fevereiro.


A pressionar o ouro tem estado a valorização do dólar, depois de na última semana vários membros da Reserva Federal dos EUA terem adiantado que a instituição poderá subir juros já na reunião de Abril.


O ouro caiu 3,1% na última semana e prepara-se para encerrar o mês com um balanço negativo, naquela que será a primeira queda mensal desde Novembro e depois de ter disparado 11% em Fevereiro.

Ver comentários
Saber mais ouro matérias-primas metais refúgio crise financeira investimento
Mais lidas
Outras Notícias