Taxas de juro Juros da dívida portuguesa disparam após pedido de demissão de Paulo Portas

Juros da dívida portuguesa disparam após pedido de demissão de Paulo Portas

“Yields” das obrigações portuguesas estão em forte alta em todas as maturidades, devido à crise política desencadeada com o pedido de demissão de Paulo Portas.
Juros da dívida portuguesa disparam após pedido de demissão de Paulo Portas
Nuno Carregueiro 02 de julho de 2013 às 16:50

Segunda-feira foi Vítor Gaspar. Hoje foi Paulo Portas. Em dois dias demitiram-se os dois principais ministros de Passos Coelho, abrindo uma crise política que deverá desencadear a queda do actual Governo.

 

Uma situação que se está a reflectir no mercado secundário de dívida, com uma forte subida das taxas de juro.

 

A “yield” da dívida pública a 10 anos sobe 20 pontos base para 6,59% e na maturidade a 5 anos o agravamento é de 22 pontos base para 5,43%.

 

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, apresentou esta manhã o seu pedido de demissão "irregovável" ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

 

A gota de água terá sido a escolha de Maria Luís Albuquerque para substituir Vítor Gaspar, que apresentou ontem a sua demissão. Paulo Portas queria um novo responsável nessa pasta capaz de operar uma verdadeira mudança de política e não uma solução de continuidade.