Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Juros a dois anos recuam para mínimos de Junho

As taxas de juro implícitas das obrigações portuguesas estão a cair em todos os prazos. A queda é ligeira, mas suficiente para colocar a taxa de juro a dois anos no valor mais baixo desde Junho. No resto da Europa a tendência é semelhante.

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 19 de Dezembro de 2013 às 12:38
  • Partilhar artigo
  • 4
  • ...

A “yield” das obrigações portuguesas a dois anos cai 3,2 pontos base para 3,129%, tendo já tocado nos 3,080%, o que corresponde ao valor mais baixo desde Junho deste ano. A taxa a cinco anos cede 2,9 pontos para 4,897% e a 10 anos a queda é de 2,2 pontos para 6,028%, regressando assim às quedas após dois dias de subidas.

 

A tendência de queda das “yields” está a ser partilhada pela generalidade dos países europeus, com excepção da Alemanha, que está a assistir a subidas ligeiras das bunds, precisamente porque está a haver um alívio de pressão e os investidores tendem em reduzir a sua exposição a activos considerados de refúgio, como é o caso das obrigações alemãs.

 

A contribuir para este comportamento está a decisão da Reserva Federal (Fed) anunciada na quarta-feira, 18 de Dezembro, sobre a redução dos estímulos à economia. O programa de compra de activos da Fed estava em 85 mil milhões de dólares por mês, tendo sido reduzido em 10 mil milhões para 75 mil milhões de dólares. Além disso, os responsáveis da autoridade norte-americana reiteraram o seu compromisso de manter a taxa de juro de referência próxima dos zero durante um período longo. Pelo menos, enquanto a taxa de desemprego se mantiver acima dos 6,5%.

 

A Fed não só retirou parte dos estímulos como emitiu novas previsões que apontam para uma evolução económica mais favorável, o que retira pressão sobre as bolsas já que há a perspectiva que a maior economia do mundo esteja a crescer.

 

Em Espanha foi realizada a última emissão de dívida do ano, tendo registado a maior procura desde, pelo menos, 2004, segundo a Bloomberg, o que contribuiu para descer a taxa de juro mais baixa dos últimos três anos e meio. 

Ver comentários
Saber mais juros dívida obrigações Portugal Fed Espanha Alemanha
Outras Notícias