Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Juros das obrigações portuguesas em alta

As "yields" das obrigações do Tesouro (OT) estão em alta em todos os prazos. As obrigações a dez anos são aquelas que registam a maior subida, em dia de emissão de dívida.

Raquel Godinho rgodinho@negocios.pt 14 de Julho de 2010 às 11:58
  • Partilhar artigo
  • ...
Os juros cobrados pelos investidores para adquirirem dívida pública portuguesa voltam hoje a aumentar. No caso das obrigações a dez anos, a rentabilidade regista uma subida de seis pontos base para os 5,508%.

Nos prazos mais curtos (cinco e dois anos), a subida é de três pontos base. No caso das obrigações a cinco anos, a “yield” situa-se nos 4,379%, enquanto a rentabilidade das obrigações a dois anos se fixa nos 3,132%.

Hoje, no leilão de obrigações do Tesouro a dois anos, Portugal colocou 877 milhões de euros, com a procura a ser 2,3 vezes o total da oferta. Nesta maturidade, a taxa foi de 3,159%, quase o dobro do juro (1,715%) pago numa emissão de dívida idêntica realizada a 14 de Abril.

No leilão de obrigações a nove anos, o juro pago foi de 5,304%. Neste prazo, o Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público financiou-se em 803 milhões de euros, sendo que a procura foi de 1,5 vezes a oferta. Em ambos os casos, a taxa paga ficou ligeiramente abaixo do juro no mercado.

No total, Portugal vendeu 1.680 milhões de euros em dívida, acima dos 1.500 milhões previstos para o total das duas linhas.

As obrigações gregas e espanholas registam comportamentos distintos nos diferentes prazos. A “yield” da dívida pública grega a dez anos sobe três pontos base para os 10,225%. O juro das obrigações a dois anos também avança três pontos base para os 9,540%. No prazo a cinco anos, a rentabilidade desce oito pontos base para os 10,751%.

No caso da dívida espanhola, a “yield” valoriza nos prazos mais longos. A rentabilidade das obrigações a dez anos cresce quatro pontos base para os 4,683%, enquanto na dívida pública a cinco anos a subida é de cinco pontos base para os 3,487%. Já a “yield” das obrigações do tesouro espanholas a dois anos cai um ponto base para os 2,543%.

Ver comentários
Outras Notícias