Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lisbon Brokers reitera “forte compra” para acções da PT com oferta da Telefónica

A Lisbon Brokers considera que a oferta da Telefónica sobre a participação que a Portugal Telecom detém na Vivo "era exactamente o que o mercado estava à espera" e que, nesse contexto e tendo em conta que a avaliam essa posição em três mil milhões de euro

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 10 de Julho de 2007 às 09:33
  • Partilhar artigo
  • ...

A Lisbon Brokers considera que a oferta da Telefónica sobre a participação que a Portugal Telecom detém na Vivo "era exactamente o que o mercado estava à espera" e que, nesse contexto e tendo em conta que avaliam essa posição em três mil milhões de euros, reiteram a recomendação da "forte compra" para as acções da operadora portuguesa.

A Telefónica avançou com uma proposta superior a 3 mil milhões de euros para comprar a participação de 50% que a Portugal Telecom (PT) detém na brasileira Vivo, afirma o presidente da operadora espanhola em entrevista conjunta ao Financial Times e ao Expansión.

Numa nota de "research", o analista Jonh dos Santos, explica que uma vez que avaliam a participação da PT na Vivo em 2,7 mil milhões de euros reiteram a recomendação de "forte compra" e o preço-alvo de 11,80 euros o que representa um potencial de valorização de 15% face ao fecho de ontem.

O mesmo responsável refere ainda que o valor da oferta iria acrescentar 0,30 euros ao preço-alvo de 11,80 euros que têm para a operadora para 12,10 euros, o que, nesse caso, faria com que a PT pudesse subir 18% até ao final do ano. No entanto, mantêm, por agora, a "forte compra" e o preço-alvo de 11,80 euros.

A Lisbon Brokers explica que esta era uma notícia esperada pelo mercado. Também Ricardo Pimentel Seara, analista do BPI, sublinha que a notícia é "neutral" uma vez que está em linha com as suas expectativas.

"Na nossa nota de dia 23 de Maio, traçámos um cenário no qual a Telefónica iria oferecer 3,1 mil milhões de euros pela participação da PT na Vivo, versus o nosso caso base de avaliação dessa participação em 2,4 mil milhões de euros", sublinha o especialista.

A mesma fonte acrescenta que "esse prémio de 30% seria totalmente justificável, na perspectiva da Telefónica, tendo em conta as esperadas sinergias entre a Vivo e a Telesp no Brasil e entre a Vivo e outras 12 operadoras móveis latinas da empresa espanhola".

"Esse prémio potencial iria representar 0,64 euros por cada acção da PT, cerca de 6% mais do que a nossa avaliação da operadora que é de 10,06 euros por título", conclui o analista.

CaixaBI considera operação benéfica para a PT e Telefónica

O CaixaBI considera que esta notícia poderá ser benéfica para todas as partes envolvidas. A casa de investimento acredita que a PT está interessada nesta operação uma vez que poderá assim adquirir outra operadora no Brasil. Para além disso, refere que a posição da Telefónica na PT (10%) poderá ser vendida.

Esta casa de investimento tem uma recomendação de "acumular" para os títulos da PT e um preço-alvo de 11,05 euros.

Merrill Lynch acredita que PT vai vender Vivo à Telefónica

A Merrill Lynch considera que a Portugal Telecom deverá vender os 50% detidos na Vivo à Telefónica , referindo que essa decisão seria positiva para as duas empresas.

"Acreditamos que a PT irá acabar por vender à Telefónica, talvez a um preço mais alto, mas quer assegurar um negócio no Brasil com os accionistas principais da Telemar", diz a Merrill Lynch em nota de research de hoje, citada pela agência Reuters.

Acrescenta, em nota de research, que este cenário de venda por parte da PT seria positivo para as duas empresas e refere que a manutenção da actual situação é o cenário mais improvável.

"Pensamos que o tempo é limitado para todos os players já que o valor dos activos no Brasil está a subir e a PT e a Telefónica querem resolver negócios na região", diz.

Caso a PT decida não vender, a Merrill Lynch diz que a Telefónica deverá procurar outras opções como adquirir a TIM Brasil ou reforçar a posição na Telecom Itália.

Outras Notícias