Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Mercados europeus encerram a valorizar com resultados da Ericsson

As praças europeias encerraram hoje a ganhar, impulsionadas pelos resultados da Ericsson e da Volvo, com as duas companhias a apresentarem resultados acima do esperado, aumentando o optimismo dos investidores quanto ao crescimento dos lucros.

Isabel Aveiro ia@negocios.pt 21 de Julho de 2004 às 18:33
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As praças europeias encerraram hoje a ganhar, impulsionadas pelos resultados da Ericsson e da Volvo, com as duas companhias a apresentarem resultados acima do esperado, aumentando o optimismo dos investidores quanto ao crescimento dos lucros.

O índice Dow Jones Stoxx 50 seguia a valorizar 1,07%, para 2.631,29 pontos.

O índice alemão DAX [DAX] terminou a sessão nos 3.877,48 pontos, a avançar 1,04%. A Siemens avançou 2,1%, para 56,50 euros, depois da fabricante de telemóveis sueca Ericsson ter apresentado lucros pelo terceiro trimestre consecutivo, com os resultados a beneficiarem de uma reduções dos postos de trabalho e de um aumento de 18% nas vendas.

Em Amesterdão, o índice AEX valorizou 1,01%, para 331,37 pontos. O ING Groep, a maior instituição financeira dos Países Baixos, ganhou 2,2%, para 18,65 euros, depois de ser conhecido que vai vender a sua unidade CenE Bankiers à Van Lanschot, que por sua vez avançou 1,25, para 41 euros.

O índice britânico FTSE [UKX] apreciou 0,87%, para 4.377,30 pontos. A retalhista Gus, a maior do Reino Unido na área não alimentar, valorizou 3,5%, para 852,5 pences depois da companhia ter anunciado que as vendas da sua cadeia Argos aumentaram 9% nos três meses que terminaram no final de Junho, impulsionadas por uma procura crescente.

Em Paris, o CAC-40 [CAC] encerrou nos 3.637,47 pontos, a avançar 0,83%. A fabricante de equipamento de telecomunicações Alcatel adiciou 2,6%, para 11,72 euros.

O índice IBEX-35 [IBEX] ganhou 0,52%, para 8.031,40 pontos. O grupo de construção Ferrovial valorizou 2,3%, para 37,27 euros, no dia em que anunciou um aumento de 20% nos lucros relativos ao primeiro semestre.

Outras Notícias