Bolsa Mitsubishi afunda em bolsa com escândalo de manipulação que envolve mais de 600 mil carros

Mitsubishi afunda em bolsa com escândalo de manipulação que envolve mais de 600 mil carros

As acções da Mitsubishi Motors afundaram mais de 15% na bolsa de Tóquio, depois de ter sido revelado que a fabricante manipulou testes de poupança de combustível. A empresa confirma que os falsos testes envolvem mais de 600 mil automóveis.
Mitsubishi afunda em bolsa com escândalo de manipulação que envolve mais de 600 mil carros
Rita Faria 20 de abril de 2016 às 08:51

As acções da Mitsubishi registaram a maior queda em bolsa em mais de uma década, numa altura em que a fabricante japonesa se vê envolvida num escândalo de manipulação de testes de consumos de combustível.

Numa conferência de imprensa realizada esta quarta-feira, 20 de Abril, a companhia confirmou que houve manipulação dos testes de economia de combustível em mais de 620 mil veículos para tornar os níveis de emissões mais favoráveis. 

Os falsos testes envolveram 157 mil automóveis da marca Mitsubichi (dos modelos eK Wagon e eK Space) e 468 mil veículos produzidos para a Nissan (modelos Dayz e Dayz Roox). Trata-se de automóveis de passageiros pequenos, com motores a gasolina de até 660 centímetros cúbicos, que têm um grande sucesso no mercado japonês. 

"Queremos expressar as nossas mais profundas desculpas a todos os clientes afectados", declarou o presidente da Mitsubishi Motors, Tetsuro Aikawa, numa conferência de imprensa conjunta com o ministro japonês dos Transportes.

O presidente da empresa explicou ainda que o
 problema foi descoberto após a Nissan ter apontado para inconsistências nos dados de emissões, o que levou a Mitsubishi a realizar uma investigação interna e a concluir que os dados tinham sido falsificados.

 

"Um dos nossos clientes, a Nissan, descobriu as diferenças entre os valores dos testes e os reais e pediu-nos que corrigíssemos os nossos valores", esclareceu o líder da fabricante japonesa. 

 

Os títulos da Mitsubishi afundaram 15,16% na bolsa de Tóquio, a maior desvalorização desde Julho de 2004. 

A empresa junta-se, assim, à Hyunday, Kia Motors e Ford, que estiveram envolvidas, recentemente, em escândalos semelhantes, envolvendo manipulação do processo ou dos resultados dos testes de poupança de combustível.

A indústria automóvel tem sido alvo de um intenso escrutínio desde que a alemã Volkswagen admitiu, em Setembro do ano passado, ter manipulado os testes de emissões poluentes em motores diesel.  

(Notícia actualizada às 09:52 com mais informações sobre a conferência de imprensa) 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI