Bolsa Mota e Pharol disparam e dão terceiro dia de ganhos ao PSI-20

Mota e Pharol disparam e dão terceiro dia de ganhos ao PSI-20

A EDP subiu perto de 1% e deu um impulso à valorização da praça nacional, numa sessão em que os destaques pela positiva foram a Mota-Engil e a Pharol. O BCP caiu pelo terceiro dia seguido.
Mota e Pharol disparam e dão terceiro dia de ganhos ao PSI-20
Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro 22 de novembro de 2017 às 16:40

A Bolsa de Lisboa fechou esta quarta-feira em terreno positivo pela terceira sessão consecutiva. A Pharol, a somar 8%, marcou a maior valorização, seguida da Mota-Engil, que apreciou mais de 5%. Em contraciclo fechou o BCP, que cedeu pelo terceiro dia. 

O PSI-20 somou 0,25% para fechar nos 5.305,06 pontos. 

A Pharol ganhou 8,43% para 0,373 euros no dia em que foi notícia que a administração da brasileira Oi, onde é a principal accionista, deverá introduzir alterações ao plano de reestruturação para conseguir a sua aprovação.

 

Com uma valorização de 5,23% seguiu-se a Mota-Engil, com as acções a valerem 3,484 euros, ainda que não tenha havido qualquer informação relevante divulgada ao mercado. Ontem, o CaixaBI reviu em alta as estimativas para a construtora.

 

A EDP somou 0,8% para 2,911 euros e puxou Lisboa para a zona das valorizações, ainda que a sua subsidiária para as energias verdes, a EDP Renováveis, tenha perdido 0,09% para 6,871 euros. A Galp terminou o dia na mesma cotação de ontem: 15,895 euros.

 

Ainda na energia, a REN encerrou nos 2,51 euros, um recuo de 0,08%. Esta foi a última sessão antes de os direitos que permitem a subscrição das novas acções, a emitir no aumento de capital de 250 milhões, negociarem em bolsa.

 

No retalho, a Sonae ganhou 1,27% para 1,034 euros, ao passo que a Jerónimo Martins encerrou nos 15,965 euros, com um avanço de 0,19%.

 

BCP cai pelo terceiro dia

 

Se o PSI-20 somou pelo terceiro dia, o BCP teve a evolução contrária: foi o terceiro recuo consecutivo.

 

No lado das perdas também se situou a Novabase, que deslizou para valores de Abril deste ano. A empresa cedeu 2,81% e fechou a cotar nos 3,11 euros. 


Na Europa Ocidental, o dia foi sobretudo de ganhos, com uma das excepções a ser o alemão Dax, que recuou mais de 1% após o falhanço nas negociações para um governo maioritário. O Stoxx Europe 600 caiu 0,25%. 

  

As bolsas europeias seguiram a tendência vinda do Oriente, depois de o índice MSCI Ásia Pacífico ter superado a fasquia mais elevada desde 2007. Os mercados norte-americanos seguem próximos dos máximos históricos, ainda que sem grande tendência definida.

(Notícia actualizada com mais informações às 16:48)




pub