Bolsa Nasdaq atinge novo recorde e S&P500 sobe para máximos de mais de um mês

Nasdaq atinge novo recorde e S&P500 sobe para máximos de mais de um mês

As bolsas dos Estados Unidos continuam a ser animadas pelo abrandamento da subida dos salários no país, que afastou os receios relacionados com a inflação.
Nasdaq atinge novo recorde e S&P500 sobe para máximos de mais de um mês
EPA
Rita Faria 12 de março de 2018 às 14:13

Os principais índices norte-americanos estão a negociar em alta esta segunda-feira, 12 de Março, pela terceira sessão consecutiva, devido ao alívio dos receios em torno da subida da inflação e das taxas de juros.

 

O índice industrial Dow Jones ganha 0,38% para 25.432,13 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq valoriza 0,41% para 7.592,17 pontos, um novo máximo histórico. Já o S&P500 sobe 0,25% para 2.793,66 pontos, o valor mais elevado desde 2 de Fevereiro.

 

As bolsas dos Estados Unidos prosseguem, assim, a tendência positiva da sessão de sexta-feira - em que valorizaram quase 2% - depois de ter sido revelado que o crescimento dos salários no país abrandou, aliviando as preocupações em torno da aceleração da inflação.

 

"O mercado está particularmente optimista com o facto de o crescimento dos salários não ter sido expressivo ao ponto de justificar preocupações com a inflação", afirma Andre Bakhos, director da New Vines Capital LLC, em Bernardsville, Nova Jérsia.

 

Apesar disso, os traders mantêm as suas perspectivas de três subidas de juros por parte da Reserva Federal dos Estados Unidos este ano.

 

As subidas registadas no final da semana passada também foram motivadas pela postura mais branda do presidente dos Estados Unidos em relação à imposição de tarifas sobre o aço e alumínio, isentando o Canadá e o México e abrindo aporta a negociações com vários países.

 

Em destaque na sessão de hoje estão os títulos da Broadcom, que sobem 3% para 261,40 dólares, depois deter sido noticiado que a Intel está a considerar uma oferta pela empresa.

 

Também a Oclaro dispara 24,71% para 9,79 dólares, animada pela notícia de que a Lumentum Holdings vai comprar a empresa por 1,7 mil milhões de dólares.  




pub