Bolsa Negociações comerciais levam Wall Street a subir mais de 1%

Negociações comerciais levam Wall Street a subir mais de 1%

As bolsas americanas fecharam o dia com ganhos superiores a 1%, animadas pelas perspetivas mais animadoras das negociações comerciais entre os EUA e a China.
Negociações comerciais levam Wall Street a subir mais de 1%
Reuters
Sara Antunes 29 de agosto de 2019 às 21:13

Os principais índices bolsistas americanos fecharam a subir mais de 1%, com os investidores a aplaudirem a redução da tensão geopolítica entre os EUA e a China. O Dow Jones avançou 1,25% para 26.362,25 pontos, o Nasdaq apreciou 1,48% para 7.973,39 pontos e o S&P500 subiu 1,27% para 2.924,58 pontos.

 

Os investidores animaram-se com as notícias vindas da China. Pequim garantiu que não vai responder ao último aumento de tarifas anunciado por Donald Trump, considerando que o escalar da tensão não é benéfico para ninguém. Além disso, o porta-voz do Ministério do Comércio, Gao Feng, disse esperar que o presidente americano ainda desista das tarifas anunciadas na semana passada.

 

Esta posição assumida pela China foi suficiente para animar os investidores. Mas, mais ao final do dia, foi a vez de Donald Trump dar boas notícias, revelando que EUA e China têm uma conversa agendada para hoje, sem revelar mais detalhes. Ainda assim foi suficiente para os investidores aumentarem a especulação sobre uma aproximação dos dois países, num processo que já dura há mais de um ano.

 

As cotadas que estão mais expostas à questão das tarifas, como as tecnológicas, foram as que reagiram de forma mais acentuada. A Apple ganhou mais de 1,5% para 209,01 dólares e a Microsoft cresceu quase 2% para 138,12 dólares.

 

"Os mercados estão a negociar com esperança porque [EUA e China] vão para negociações e enquanto assim estiverem as coisas não pioram", afirma Larry Adam, da Raymond James, citado pela Reuters. "A China está a dar aos EUA outra oportunidade porque temos assistido a indicadores mais fracos em ambos os lados."

 

Destaque para as ações da Dollar General, que disparou mais de 10,5%, depois de ter avançado com previsões de resultados que superaram as estimativas.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI