Research Novabase cai mais de 3% após estimativas “desapontantes” para 2018

Novabase cai mais de 3% após estimativas “desapontantes” para 2018

As metas traçadas pela empresa para as receitas e EBITDA, em 2018, ficaram 4% e 28% abaixo do esperado pelos analistas do BPI.
Novabase cai mais de 3% após estimativas “desapontantes” para 2018
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 23 de fevereiro de 2018 às 12:23

As acções da Novabase estão a negociar em queda esta sexta-feira, 23 de Fevereiro, depois de a empresa ter revelado os seus resultados relativos ao ano passado e o seu ‘guidance’ para 2018, considerado "decepcionante" pelos analistas do BPI.

Os títulos descem 1,98% para 2,97 euros, tendo chegado a desvalorizar um máximo de 3,30% para 2,93 euros, o valor mais baixo das últimas duas semanas. Até ao momento já trocaram de mãos quase 240 mil acções da Novabase, quando a média diária dos últimos seis meses não vai além das 35,3 mil.

Ontem, após o fecho do mercado, a empresa liderada por Luís Salvado anunciou que os seus lucros desceram 50%, no ano passado, para 4,8 milhões de euros, enquanto o volume de negócios aumentou 3% para 139,7 milhões de euros.

 

Considerando apenas o segundo semestre, as receitas caíram 6% para 67 milhões de euros, e o EBITDA fixou-se em 5,5 milhões, substancialmente acima dos 1,9 milhões registados no segundo semestre de 2016. Já os lucros fixaram-se em 900 mil euros.  

 

Numa nota de análise divulgada esta sexta-feira, os analistas do BPI referem que as receitas ficaram 1% abaixo das estimativas enquanto o EBITDA superou em 8% as projecções. Os lucros, por sua vez, foram 2,3 vezes superior ao esperado.

Apesar de ter superado as projecções, ter cumprido os objectivos de 2017 e ter uma geração de cash flow positiva no segundo semestre, a Novabase desiludiu os analistas do BPI com as metas traçadas para este ano.

A empresa anunciou as suas metas para 2018, que incluem um volume de negócios de 140 milhões e um EBITDA de 8 milhões. Actualmente, estimamos receitas de 145 milhões e um EBITDA de 11,5 milhões, o que implica que o ‘guidance’ está 4% e 28% abaixo dos nossos números, respectivamente", aponta o BPI, classificando as metas de "decepcionantes". Nesse sentido, os analistas admitem "rever em baixa as estimativas".

A empresa revelou ainda que, na assembleia-geral deste ano, vai propor o pagamento de um dividendo de 15 cêntimos por acção, relativo ao exercício de 2017, o mesmo valor que foi pago em Maio, relativo a 2016. No entanto, além deste dividendo regular, a Novabase pagou um dividendo extraordinário de 50 cêntimos por acção, em Novembro, num total de 15,5 milhões. 

"Dado o forte balanço da empresa, proporemos na AG de 2018 o pagamento de um dividendo de 15 cêntimos por acção, o que corresponde a um payout de praticamente 100% e a uma yield em torno de 5%", refere o comunicado.

 

O BPI atribui às acções da empresa uma recomendação "neutral" e um preço-alvo de 3,70 euros, o que atribui aos títulos um potencial de valorização de 24,6% face à actual cotação (2,97 euros).

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
NOVA BASE será que não é outro CTT 23.02.2018

É que dar dividendos superiores aos lucros é complicado, espero que não seja outro CTT,

pub