Bolsa Pesos pesados sobem 2% e dão novo ânimo a Lisboa

Pesos pesados sobem 2% e dão novo ânimo a Lisboa

O dia foi de recuperação na Europa e Lisboa acompanhou. As bolsas do Velho Continente encerraram no verde, depois das perdas acentuadas da sessão anterior. Por cá, destaque para os ganhos de 2% da Galp Energia, EDP e Jerónimo Martins.
Pesos pesados sobem 2% e dão novo ânimo a Lisboa
Bruno Simão/Negócios
Rita Atalaia 07 de dezembro de 2018 às 16:48

A calma regressou aos mercados e Lisboa acompanhou esta tendência. O índice nacional regressou ao verde, à boleia dos ganhos em torno de 2% da EDP, da Jerónimo Martins e da Galp Energia.

 

As principais praças europeias avançaram na última sessão da semana, com o Stoxx 600 a registar ganhos perto de 0,77%. O dia foi de alívio depois das fortes quebras de ontem, que levaram as bolsas do Velho Continente a mínimos de dois anos. Esta recuperação acontece depois de terem diminuído os receios em torno da guerra comercial entre os EUA e a China.

 

Além disso, as fortes quebras dos preços do petróleo deram hoje lugar a ganhos acentuados. Em Londres, o Brent está a subir 4,75% para 62,91 dólares, depois da reunião da Organização de Países Exportadores de Petróleo com os respectivos aliados ter terminado com um acordo para o corte da produção da matéria-prima.

 

Esta valorização das cotações do "ouro negro" animaram as petrolíferas, nomeadamente a Galp Energia. A empresa liderada por Carlos Gomes da Silva avançou 1,75% para 14,52 euros, contribuindo para o bom desempenho do PSI-20 – o índice de referência nacional subiu 0,40% para 4.836,73 pontos, com nove cotadas em alta e nove em baixa.

 

Porém, não foi a única cotada a puxar pelo índice nacional. Também a EDP subiu 2,42% para 3,09 euros. Isto ao mesmo tempo que a subsidiária EDP Renováveis avançou 0,13% para 7,67 euros. 

Já a Jerónimo Martins valorizou 2,29% para 10,49 euros e a Sonae avançou 2,15% para 83 cêntimos. 

A contrariar este sentimento seguiu o BCP. O banco liderado por Miguel Maya recuou 1,44% para 23,9 cêntimos. No sector do papel, a Navigator perdeu 2,38% para 3,612 euros. 




Saber mais e Alertas
pub