Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Petróleo recupera de maior ciclo de quedas desde Julho

O petróleo negoceia em terreno positivo, depois de seis sessões consecutivas em queda, naquela que foi a maior série de descidas desde Julho. Por outro lado, a desvalorização do euro face ao dólar limita a subida da matéria-prima.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 10 de Dezembro de 2009 às 08:18
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O petróleo negoceia em terreno positivo depois de seis sessões consecutivas em queda, naquela que foi a maior série de descidas desde Julho. Por outro lado, a desvalorização do euro face ao dólar limita a subida da matéria-prima.

O crude sobe 0,54% para 71,05 dólares por barril, ao negociar em Nova Iorque por via electrónica e o Brent avança 0,72% para 72,91 dólares por barril, ao negociar em Londres.

“Os valores próximos de 70 dólares são, definitivamente, vistos como uma região de compra, para muitos investidores”, disse o economista do National Australia Bank, Ben Westmore à Bloomberg. “Se tiver alguma fé nas perspectivas de procura no médio prazo então, provavelmente, não é má altura para comprar”.

Euro limita subida do petróleo

A limitar a subida do ouro negro, está a descida do euro face ao dólar, que torna a matéria-prima, denominada em dólares, menos apetecível para os investidores internacionais.

O euro deprecia 0,13% para 1,4707 dólares, negociando próximo de mínimos face à divisa norte-americana.

A moeda europeia negoceia pressionada por incertezas relativas ao risco de incumprimento da Dubai World, que levam os investidores a abandonar activos de risco para investir em activos de refúgio, como o dólar.

“As incertezas relativas à situação no Dubai ainda são fortes, levando ao abrandamento de investimentos em activos de maior risco como acções a divisas com maiores taxas de retorno”, disse o estratega do Mizuho Securities, Tsuoyshi Segawa à Bloomberg. “Os ‘carry trades’ financiados pelo dólar e pelo iene, estão agora em risco”, acrescentou.

Ver comentários
Outras Notícias