Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Petróleo regressa aos 123 dólares por barril

Os preços do petróleo seguiam a negociar em queda depois de ter sido divulgado que os preços superiores a 120 dólares por barril estão a limitar a procura. Os preços petrolíferos seguiam a negociar nos 123 dólares por barril quer em Londres quer em nova Iorque.

Lara Rosa lararosa@negocios.pt 04 de Junho de 2008 às 12:16
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...
Os preços do petróleo seguiam a negociar em queda depois de ter sido divulgado que os preços superiores a 120 dólares por barril estão a limitar a procura. Os preços petrolíferos seguiam a negociar nos 123 dólares por barril quer em Londres quer em nova Iorque.

O West Texas Intermediate (WTI) seguia a negociar nos 123,80 dólares por barril em Nova Iorque, ao cair 0,41%, e em Londres, o “Brent” do mar do Norte, que serve de referência à economia portuguesa, perdia 1,02% para os 123,31 dólares.

Foi ontem conhecido que o uso de combustíveis nos EUA caíram 4,7% na semana passada, quando comparado com o ano anterior, o que está a pressionar os preços petrolíferos.

“Existe evidencia de que estes valores do petróleo estão a ter um impacto real na economia” afirmou David Moore da Commonwealth Bank of Austrália citado pela Bloomberg.

Segundo Moore, “estão a ocorrer alguns ajustes na procura e isso é um factor que está a pesar nos preços do petróleo.”

Ontem os preços do petróleo caíram mais de 2% depois das declarações de Ben Bernanke, presidente da Reserva Federal (Fed) norte-americana, que sugerem que a autoridade monetária não vai voltar a cortar a taxa de juro de referência no país para estimular o dólar.

Também o mercado cambial contribuiu para a desvalorização do petróleo na sessão de ontem uma vez que com o dólar a valorizar face ao euro, os contractos petrolíferos tornam-se menos atractivos para os investidores que são detentores da moeda única da Zona Euro o que leva a uma diminuição da procura e logo a uma desvalorização dos preços.

Ver comentários
Outras Notícias