Petróleo Petróleo cai 1% para mínimos de um mês

Petróleo cai 1% para mínimos de um mês

A matéria-prima cai pela terceira sessão consecutiva e negoceia em mínimos de um mês. As previsões apontam para uma nova subida das reservas de crude no mercado norte-americano.
A carregar o vídeo ...
Ana Luísa Marques 05 de abril de 2016 às 09:36
O preço do petróleo negoceia esta terça-feira, 4 de Abril, em mínimos de um mês. Após três sessões em queda, a matéria-prima negoceia em torno dos 35 dólares nos Estados Unidos e ligeiramente abaixo dos 38 dólares em Londres. 

O West Texas Intermediate cai 1,01% para 35,34 dólares e o barril de Brent, referência das importações europeias, perde 0,85% para 37,37 dólares. 

As previsões dos analistas contactados pela agência Bloomberg apontam para uma nova subida das reservas de crude no mercado norte-americano, em 2,85 milhões de barris. A confirmar-se esta estimativa será a oitava semana consecutiva de aumentos das reservas nos Estados Unidos.

A penalizar o preço da matéria-prima estão também as recentes declarações do príncipe saudita Mohammed bin Salman. O responsável afirmou que a Arábia Saudita só congelará a produção se o Irão e os principais produtores também o fizerem. Em entrevista à Bloomberg, o príncipe assinalou ainda que, se algum país aumentar a produção, a Arábia também o fará.

Depois das declarações do príncipe saudita, no final da semana passada, o Irão já veio dizer que vai continuar a aumentar a sua produção e as exportações até que alcance no mercado a posição que tinha antes das sanções.

 

O ministro do petróleo, Bijan Zanganeh, acrescentou, contudo, que um "acordo entre os principais exportadores do mundo, membros da OPEP e não-OPEP, tais como a Arábia Saudita e a Rússia para congelar a produção nos níveis de Janeiro é um passo positivo", revelam as declarações à agência Mehr, citadas pela Reuters.

 

Além disso, revelou que iria ao encontro em Doha, agendado para 17 de Abril, se "tivesse tempo".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI