Mercados Petróleo em máximos de Novembro vive melhor mês num ano

Petróleo em máximos de Novembro vive melhor mês num ano

A matéria-prima continua a negociar em máximos de Novembro, sustentada pela quebra da produção nos Estados Unidos. O petróleo dispara mais de 21% em Abril.
Petróleo em máximos de Novembro vive melhor mês num ano
Patrícia Abreu 29 de abril de 2016 às 09:20

Os preços do petróleo seguem a negociar acima de 46 dólares por barril nos Estados Unidos, a renovarem máximos de Novembro, com o crude a continuar a ser sustentada pela quebra da produção norte-americana. A matéria-prima prepara-se para encerrar com a maior subida mensal num ano.

 

O WTI, negociado em Nova Iorque, sobe 0,56% para 46,29 dólares por barril o valor mais elevado desde 4 de Novembro, aumentando para 5,7% a valorização registada esta semana. Apenas este mês o crude dispara 21%, o maior ganho registado pela matéria-prima desde Abril de 2015.

 

Já o Brent, em Londres, aprecia 0,31% para 48,29 dólares por barril, com as cotações a registarem um avanço superior a 29,4% em 2016.

 

A sustentar as cotações nas últimas semanas tem estado a quebra da produção nos Estados Unidos, que baixou para o valor mais baixo desde Outubro de 2014, bem como a expectativa de um reequilíbrio entre a oferta e a procura.

 

"A combinação da queda do dólar, a estabilização do crescimento na China e a queda da produção nos Estados Unidos liderou a recente escalada nos preços do petróleo", explicou Jens Nærvig Pedersen, analista do Danske Bank, ao Negócios.

 

Para o mesmo especialista, o potencial desta recuperação a curto prazo é, porém, limitado. O analista do Danske Bank acredita que o crude vai acelerar nos últimos meses do ano e vê as cotações a transaccionarem em torno de 55 dólares por barril no final de 2016.






pub

Marketing Automation certified by E-GOI