Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Petróleo mantém-se a negociar perto do máximo histórico

O petróleo continua a negociar nos níveis mais altos de sempre suportado pela crise política que se vive na América Latina e pelo anúncio de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo não vai aumentar a produção.

Maria João Soares mjsoares@negocios.pt 06 de Março de 2008 às 09:09
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O petróleo continua a negociar nos níveis mais altos de sempre suportado pela crise política que se vive na América Latina e pelo anúncio de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo não vai aumentar a produção.

O West Texas Intermediate (WTI) [CL1] valorizava 0,27% para os 104,80 dólares, em Nova Iorque depois de ontem ter registado o valor recorde de 104,95 dólares.

Em Londres o "brent", que serve de referência à economia portuguesa, seguia a negociar nos 101,76 dólares ao valorizar 0,12%.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), que detém mais de 40% da produção petrolífera, anunciou ontem que não vai alterar a sua produção.

O ministro Ali al-Naimi, da Arábia Saudita, o maior exportador de petróleo do mundo, afirmou que a procura e a oferta estão estáveis, de acordo com a Bloomberg.

As reservas de petróleo nos EUA caíram esta semana, contrariando as estimativas dos analisas, com os inventários de crude a diminuírem 3 milhões de barris quando os analistas esperavam que as reservas aumentassem 2,4 milhões.

Os inventários de produtos destilados, que inclui o gasóleo para aquecimento e rodoviário, diminuíram 2,3 milhões de barris quando os analistas esperavam uma redução de 1,6 milhões.

Por outro lado os rebeldas da Colômbia atacaram um oleoduto junto à fronteira com o Equador.

As autoridades venezuelanas decidiram fechar a fronteira com a Colômbia, anunciou o ministro venezuelano da Agricultura, Elias Jaua, esta semana na sequência da crise diplomática que opõe a Colômbia à Venezuela e ao Equador.

Outras Notícias