Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Petróleo recua mas mantém-se próximo dos máximos históricos

Os preços do petróleo seguiam em queda ligeira, quer em Londres quer em Nova Iorque, a corrigir das fortes valorizações registadas nas últimas sessões.

Raquel Godinho rgodinho@negocios.pt 22 de Abril de 2008 às 08:30

Os preços do petróleo seguiam em queda ligeira, quer em Londres quer em Nova Iorque, a corrigir das fortes valorizações registadas nas últimas sessões.

Ainda assim, a matéria-prima mantinha-se próxima dos máximos históricos registados ontem devido aos receios de que o corte de produção na Nigéria vá reduzir a quantidade de gasolina disponível nos EUA no Verão.

O West Texas Intermediate (WTI) [CL1], negociado em Nova Iorque, perdia 0,20% para os 117,25 dólares, depois de ontem ter tocado no valor mais elevado de sempre nos 117,83 dólares. Já o "brent" do Mar do Norte [CO1], transaccionado em Londres, cedia 0,03% para os 114,40 dólares, depois de ontem ter tocado num máximo histórico nos 114,86 dólares.

Já ontem a suportar a valorização do petróleo esteve o anúncio da Royal Dutch Shell de que o ataque da semana passada na Nigéria à maior produtora de petróleo africana, forçou a suspensão de 169 mil barris diários de produção, bem como as afirmações de Abdalla el-Badri, o secretário-geral da OPEP, de que não existe falta de petróleo no mercado e culpou a queda do dólar e a especulação pelos altos preços da matéria-prima.

O relatório de reservas petrolíferas nos EUA que será amanhã divulgado poderá travar a escalada dos preços do petróleo. Os analistas consultados pela agência Bloomberg estimam que os inventários de crude tenham avançado em 1,6 milhões de barris, na semana terminada a 18 de Abril. Os mesmos responsáveis prevêem que os "stocks" de gasolina tenham descido em 2,5 milhões de barris, enquanto acreditam que os destilados se tenham mantido estáveis.

Ver comentários
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio