Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Petróleo sobe para 42 dólares em Londres

O Brent quebrou a fasquia dos 42 dólares por barril, impulsionado pela expectativa de uma redução do excedente de oferta no mercado. O WTI encaminha-se para terminar a quinta semana consecutiva de ganhos.

Vera Ramalhete veraramalhete@negocios.pt 18 de Março de 2016 às 11:59
  • Partilhar artigo
  • ...

O petróleo inverteu a tendência de queda do início da sessão e segue agora a valorizar nos mercados internacionais. O Brent, negociado em Londres, já superou a fasquia dos 42 dólares por barril. A expectativa da concretização de uma reunião entre os grandes exportadores de petróleo tem impulsionado os preços. A queda da produção nos Estados Unidos e a desvalorização do dólar também estão a contribuir para a quarta semana de ganhos do petróleo que serve de referência para a Europa.

O Brent subiu já um máximo de 1,85% para 42,31 dólares por barril, o valor mais elevado desde Dezembro. Segue a subir 1,30% para 42,31 dólares por barril, depois de ter chegado a perder 1% no início da sessão. Com esta valorização, avança mais de 4% esta semana, a quarta semana de ganhos.

Em Nova Iorque, o West Texas Intermediate (WTI) sobe 1,52% para 40,81 dólares por barril. Prolongando os ganhos das sessões anteriores, acumula uma valorização de 6% esta semana. Esta é a quinta semana consecutiva, a série mais longa desde Maio. Este ano, o WTI avança 10,3%.

O dólar, a divisa em que é transaccionado o petróleo, registou fortes desvalorizações após os alertas da Reserva Federal dos Estados Unidos, aumentando assim a atractividade do investimento na matéria-prima. Este factor, juntamente com a queda da produção dos EUA na semana passada e a expectativa de uma reunião dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e a Rússia tem impulsionado os preços. O ministro da Energia do Qatar revelou que a reunião irá decorrer dia 17 de Abril, em Doha. O ministro da Arábia Saudita, Ali Al-Naimi, já confirmou a presença, aumentando as expectativas de que sejam tomadas medidas para reduzir o excedente de oferta no mercado.

Ver comentários
Saber mais Petróleo Brent WTI crude Arábia Saudita Rússia OPEP acordo dólar
Outras Notícias