Bolsa PIB e negociações comerciais levam bolsas dos EUA a novos máximos

PIB e negociações comerciais levam bolsas dos EUA a novos máximos

As bolsas americanas iniciaram a sessão em alta, renovando máximos, animadas pelos dados económicos, que revelam que a economia está mais robusta do que o previsto. A evolução da questão comercial também está a animar os investidores.
PIB e negociações comerciais levam bolsas dos EUA a novos máximos
Reuters
Sara Antunes 27 de novembro de 2019 às 14:39

As bolsas dos EUA iniciaram a sessão a subir para novos máximos, no dia em que foram divulgados os dados mais atualizados do PIB americano, que foi revisto em alta.

O Dow Jones sobe 0,08% para 28.090,46 pontos e o Nasdaq aprecia 0,22% para 8.667,05 pontos. Estes dois índices renovaram mesmo máximos históricos. Já o S&P500 aprecia 0,16% para 3.145,70 pontos.

 

A economia americana cresceu 2,1% no terceiro trimestre, de acordo com os dados divulgados esta quarta-feira, 27 de novembro, pelo Departamento do Comércio. Os novos dados representam uma melhoria dos dados divulgados no mês passado, que apontavam para um crescimento do produto interno bruto (PIB) de 1,9% no período em análise.

 

Os dados superaram também as estimativas dos economistas consultados pela Reuters, que antecipavam um aumento de 1,9%.

 

A condicionar a negociação bolsista continua a frente comercial. A expectativa de que seja fechado um acordo entre os EUA e a China está a sustentar o otimismo entre os investidores. O presidente americano afirmou, na terça-feira, que os EUA estão na reta final do trabalho sobre um acordo comercial parcial com a China, o que fomentou o entusiasmo. Ainda assim, este tema tem sido marcado por vários avanços e recuos, o que faz com que os investidores assumam uma postura cautelosa.

  

A Under Armour também está a disparar mais de 6% para 19,19 dólares, depois de ter sido alvo de uma nota de análise, com uma recomendação de "forte compra".

 

Do lado oposto segue a Deere & Co, ao perder quase 5% para 168,11 dólares, depois de ter revelado lucros que ficaram aquém das estimativas. A empresa de equipamentos agrícolas foi penalizada pelas tensões comerciais e pelas condições meteorológicas adversas, que terão adiado decisões de compra de equipamentos.

 

A descer está também a Guess, depreciando 2,4% para 18,62 dólares, também pressionada pelos resultados que ficaram abaixo das estimativas.

 

Destaque ainda para a Tesla, cujas ações estão a subir quase 1% para 332,02 dólares, depois de Elon Musk ter sugerido que a fabricante de automóveis elétricos recebeu 250 mil encomendas da carrinha pickup, apresentada apenas há uns dias.

 

A semana será mais curta para as bolsas dos EUA, que na quinta-feira fechará devido ao Dia de Graças e na sexta-feira só funcionará metade da sessão, encerrando às 18h (hora de Lisboa).




pub

Marketing Automation certified by E-GOI