Bolsa Pistas de Powell sobre novos cortes de juros devolvem gás a Wall Street

Pistas de Powell sobre novos cortes de juros devolvem gás a Wall Street

As bolsas norte-americanas encerraram em alta, animadas pelo facto de o presidente da Fed ter sinalizado novos cortes de juros no caso de debilitação adicional da economia dos EUA. Os principais índices de Wall Street estavam a cair, após a redução de apenas 25 pontos base hoje anunciada para a taxa dos fundos federais, mas quando Powell falou rapidamente inverteram a tendência.
Pistas de Powell sobre novos cortes de juros devolvem gás a Wall Street
EPA
Carla Pedro 18 de setembro de 2019 às 21:07

O Dow Jones encerrou a somar 0,13% para 27.147,15 pontos e o Standard & Poor’s 500 avançou 0,03% para 3.006,72 pontos.

 

Já o tecnológico Nasdaq Composite não conseguiu chegar a terreno positivo, mas eliminou o grosso das perdas da sessão, fechando a deslizar 0,11% para 8.177,39 pontos.

 

Sem supresas, o banco central norte-americano decidiu-se nesta quarta-feira por um corte de 25 pontos base da taxa dos fundos federais, para um intervalo entre 1,75% e 2%.

 

E precisamente por não ter surpreendido é que as bolsas do outro lado do Atlântico reforçaram as quedas que já estavam a registar. O Nasdaq chegou a recuar mais de 1% e o S&P 500 aproximou-se desse nível de perdas.

 

Entretanto, o presidente da Fed, Jerome Powell, falou e disse que "se a economia enfraquecer, poderão ser necessários cortes mais profundos". Foi o suficiente para animar as bolsas e inverter a tendência de queda - apenas o Nasdaq não chegou ao verde, mas ficou perto.

 

Powell prometeu que a Reserva Federal se manterá vigilante e que atuará no sentido de contrariar qualquer desaceleração económica, o que animou os investidores.

 

O mercado estava expectante quanto às perspetivas para cortes adicionais este ano. E a resposta veio pouco depois: cinco responsáveis da Fed consideraram que a taxa diretora deverá manter-se no atual nível quando 2019 terminar (ou seja, sem mais mexidas), outros cinco acharam que deverá estar mais alta no fim de dezembro (isto é, regressar ao ciclo de subidas) e sete foram da opinião de que deverá ser cortada em mais 25 pontos base.

 

Após este "outlook", Powell fez as declarações sobre possíveis cortes adicionais e animou o sentimento do mercado.

 

Ainda assim, o atual cenário continua a "saber a pouco" ao presidente norte-americano, com Donald Trump a insistir em cortes mais profundos – para se baixar os juros diretores diretamente para os 0%.


Trump reagiu de imediato à esta decisão do banco central, e com o desagrado que se esperava, tendo afirmado que a Fed "não tem coragem".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI