Taxas de juro Portugal enfrenta segundo resgate com “perdão” de dívida, diz Bank of America

Portugal enfrenta segundo resgate com “perdão” de dívida, diz Bank of America

O Bank of America Merrill Lynch diz que a subida das taxas de juro e a incerteza política reduzem as probabilidades de que Portugal reconquiste o acesso aos mercados no próximo ano. Segundo resgate envolverá participação de privados.
Portugal enfrenta segundo resgate com “perdão” de dívida, diz Bank of America
Edgar Caetano 03 de julho de 2013 às 09:22

Em nota distribuída aos clientes, os economistas Laurence Boone, Ruben Segura-Cayuela e Sphia Salim antecipam uma forte correcção negativa dos juros de Portugal, com os investidores a temerem que num segundo resgate seja necessário envolver os credores privados numa reestruturação da dívida.

 

Os economistas temem que se for necessário um segundo pacote financeiro, e não apenas um programa cautelar, a proporção da dívida portuguesa que fica em mãos “oficiais” (troika) seja demasiado elevada para que esse processo possa ser feito sem uma reestruturação da dívida.

 

Já o Royal Bank of Scotland tinha alertado na terça-feira que Portugal passou, com esta crise política, a ter maiores probabilidades de necessitar de um segundo resgate total. E mais: para que a Europa aceite concedê-lo, poderá ter de haver uma "contribuição doméstica" em que os investidores e bancos nacionais aceitem trocar a dívida por prazos mais longos, como aconteceu na Grécia. Um "perdão suave", explicam.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI