Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Portugal paga a taxa mais baixa de sempre em leilão de dívida a 12 meses

O instituto liderado por Cristina Casalinho colocou 1.250 milhões de euros em dívida de curto prazo. Três e 12 meses foram as maturidades exploradas, com a mais longa a registar a taxa de juro mais baixa de sempre.

Miguel Baltasar
André Tanque Jesus andrejesus@negocios.pt 18 de Fevereiro de 2015 às 10:44
  • Assine já 1€/1 mês
  • 42
  • ...

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) colocou esta quarta-feira, 18 de Fevereiro, 1.250 milhões de euros em bilhetes do Tesouro (BT) a três e 12 meses. As operações registaram uma forte procura, com a dívida de maior maturidade a atingir a taxa de juro mais baixa de sempre. 

 

O instituto liderado por Cristina Casalinho (na foto) optou por colocar 1.000 milhões de euros em BT a 12 meses, com uma taxa média de 0,138%. Este é o juro mais baixo de sempre numa operação semelhante. O anterior mínimo histórico remonta a Agosto do ano passado, quando Portugal vendeu 800 milhões de euros a 0,216%.

 

Um resultado possível graças à elevada procura registada. As ofertas dos investidores por esta linha de BT superaram ligeiramente os 2.000 milhões de euros, ou seja, 2,01 vezes a oferta. Este rácio é o mais elevado desde o leilão de Julho de 2014.

 

Já na linha a três meses, o IGCP colocou 250 milhões de euros com uma taxa média de 0,061%. Um valor que, não sendo um mínimo histórico, fica muito próximo dos 0,052% registados em Setembro de 2014, quando Portugal colocou 250 milhões em BT com a mesma maturidade. A procura registada nesta operação foi de 4,26 vezes a oferta – a mais elevada desde Maio do ano passado.

 

Desta forma, o IGCP colocou 1.250 milhões de euros, o limite máximo previsto para estas operações, aquando do anúncio na passada sexta-feira. Confirmou-se, assim, o esperado: a instabilidade grega não teve repercussões nos leilões de Portugal nesta quarta-feira. O Negócios avança na edição de hoje que os analistas não antecipavam qualquer impacto da turbulência grega, prevendo que os leilões de dívida de curto prazo decorressem com normalidade.

 

Estas operações decorreram numa sessão em que também os juros da dívida portuguesa a 10 anos registaram novos históricos, mas no mercado secundário. A "yield" nacional nessa maturidade já esteve a negociar nos 2,271%, o valor mais baixo de sempre. Actualmente, recua 8,8 pontos-base para 2,273%.

 

(Notícia actualizada às 11h08, com mais informação e a corrigir a taxa de juro média a 12 meses de 0,156% para 0,138%)

Ver comentários
Saber mais leilão de dívida Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública IGCP BT
Outras Notícias