Obrigações Portugal prepara emissão de dívida a 10 e 27 anos

Portugal prepara emissão de dívida a 10 e 27 anos

O IGCP vai regressar ao mercado na próxima semana, com um duplo leilão de longo prazo. O objectivo é financiar o país em até 1.250 milhões de euros.
Portugal prepara emissão de dívida a 10 e 27 anos
Pedro Elias/Negócios
Sara Antunes 09 de março de 2018 às 13:06
O instituto que gere a dívida pública nacional vai realizar um duplo leilão de dívida de longo prazo na próxima semana. O objectivo é que o país se financie em até 1.250 milhões de euros, num prazo máximo de 27 anos.

"O IGCP, E.P.E. vai realizar no próximo dia 14 de Março pelas 10:30 horas dois leilões das OT com maturidade em 17 de Outubro de 2028 e 15 de Fevereiro de 2045, com um montante indicativo global entre 1.000 milhões e 1.250 milhões de euros", revelou a agência liderada por Cristina Casalinho (na foto), através de um comunicado emitido esta sexta-feira.

Portugal volta a emitir a muito longo prazo, oito meses depois de ter ido ao mercado financiar-se a 28 anos, tendo pago na altura uma taxa de 3,977%.

Esta linha de obrigações com maturidade em 2045, que vai ser reaberta na próxima semana, foi lançada em 2015. Em Janeiro desse ano abriu uma linha com maturidade a 30 anos, tendo colocado 2 mil milhões de euros, através de uma emissão apoiada num sindicato bancário. 

 

A última vez que Portugal emitiu dívida a 10 anos foi em Fevereiro, tendo-se financiado em  760 milhões de euros em obrigações do Tesouro com maturidade em 17 de Outubro de 2028. A taxa de juro associada a esta operação foi de 2,046%.

No mercado secundário, a taxa de juro associada à dívida de Portugal a 10 anos está nos 1,857%, enquanto no prazo a 30 anos a "yield" está nos 2,892%.

Portugal regressa assim ao mercado de dívida, numa altura em que os juros a 10 anos se têm mantido abaixo dos 2% e em que o prémio de risco associado à dívida nacional tem recuado para mínimos. E isto numa altura em que se prevê que a Moody's esteja próxima de anunciar uma melhoria da notação financeira do país, sendo esta a única agência que ainda tem o "rating" de Portugal num patamar considerado de "lixo". A Moody's deverá pronunciar-se em Abril. 




pub