Bolsa PSI-20 em alta com Mota-Engil a subir 3% e Nos mais de 1,5%

PSI-20 em alta com Mota-Engil a subir 3% e Nos mais de 1,5%

O principal índice da bolsa de Lisboa já inverteu a tendência negativa do arranque da sessão e segue em alta, em linha com as principais praças europeias.
PSI-20 em alta com Mota-Engil a subir 3% e Nos mais de 1,5%
Pedro Catarino/CM
Ana Laranjeiro 14 de março de 2018 às 11:08

Depois de uma abertura em queda, a bolsa nacional está agora a negociar em alta, em linha com as restantes praças europeias, que estão a ser animadas pelos dados da produção industrial na China. O PSI-20 ganha 0,29% para 5.441,11 pontos, com 12 empresas em alta, cinco em queda e uma inalterada. O Stoxx 600, índice de referência para a Europa, sobe 0,24%, sendo que o sector mineiro é o que mais sobe.

A animar os índices bolsistas estão os dados mais positivos do que o esperado relativos à produção industrial na China. De acordo com os dados divulgados pelo gabinete nacional de estatística, a produção industrial da China aumentou 7,2% nos primeiros dois meses deste ano, face ao mesmo período do ano passado, o ritmo de crescimento mais rápido desde Junho de 2017.
 

Isto apesar de a potencial guerra comercial promovida pelos Estados Unidos ter voltado a estar sob o foco dos mercados, depois de Donald Trump ter ameaçado impor tarifas sobre as importações chinesas e ter demitido o secretário de Estado Rex Tillerson, substituindo-o por Mike Pompeo, que é visto como tendo uma postura mais radical no que respeita ao comércio.

Em Lisboa, destaque para as acções da Mota-Engil e da Nos, que são dos títulos que mais sobem e recuperam das perdas acentuadas registadas na última sessão.

A construtora liderada por Gonçalo Moura Martins ganha 3% para os 3,61 euros, depois de ontem ter terminado o dia com uma perda de 8,49% para 3,505 euros, com a cotada a ser penalizada por uma nota de análise do Santander. O banco reviu em baixa a recomendação e o preço-alvo para as acções. A recomendação desceu de "comprar" para "manter" e o preço-alvo subiu de 3,10 euros para 4,50 euros, de acordo com a nota de "research" citada pela Bloomberg e à qual o Negócios não teve acesso.

Já os títulos da Nos avançam agora 1,61% para 4,924 euros. Na última sessão, a operadora de telecomunicações desvalorizou 4,98% para 4,846 euros. No início da semana, a Nos revelou que fechou o ano de 2017 com um resultado líquido de 124 milhões de euros, o que representa um aumento de 37,3% face ao ano anterior.

A Pharol ganha 1,45% para 24,45 cêntimos.

No sector energético, o sentimento é positivo, com a Galp Energia a ganhar 0,66% para 15,18 euros, numa altura em que os preços do petróleo estão em alta nos mercados internacionais. O Brent do Mar do Norte, referência para Portugal, negoceia pouco acima dos 65 dólares por barril.

A EDP sobe 0,03% para 3,051 euros e a EDP Renováveis cresce 0,54% para 7,485 euros. A REN aprecia 0,08% para 2,502 euros.

A Ibersol valoriza 1,75% para 11,60 euros.

No sector da pasta e do papel, a Semapa sobe 0,73% para 19,22 euros e a Altri valoriza 0,51% para 4,88 euros. Já a Navigator cede 0,09% para 4,584 euros.

O BCP desliza 0,07% para 29,08 cêntimos.

A Jerónimo Martins recua 0,79% para 15,085 euros e a Sonae segue inalterada nos 1,132 euros.




Saber mais e Alertas
pub