Bolsa PSI-20 não mexeu na última sessão do mês em que recuou mais de 3%

PSI-20 não mexeu na última sessão do mês em que recuou mais de 3%

O PSI-20 encerrou com o mesmo valor de fecho da sessão de terça-feira, com as acções do BCP a compensarem a queda da Jerónimo Martins.
A carregar o vídeo ...
Nuno Carregueiro 28 de fevereiro de 2018 às 16:52

A bolsa nacional fechou estável, numa sessão negativa para as acções europeias devido aos receios dos investidores com o agravamento das taxas de juro nos Estados Unidos.

 

O PSI-20 fechou nos 5.468,21 pontos, igualando o fecho da sessão de ontem. Oito cotadas fecharam em alta, nove desvalorizaram e uma fechou sem variação.

 

Nas praças europeias a sessão foi de sinal vermelho. As bolsas europeias foram condicionadas de manhã pelo discurso do presidente da Reserva Federal (Fed) dos EUA, que ontem defendeu, perante o Congresso do país, "mais aumentos graduais" das taxas de juro dos EUA. Os índices recuperaram depois terreno quando os Estados Unidos reviram em baixa a estimativa para o crescimento do PIB do quarto trimestre, de 2,6% para 2,5%, o que veio colocar um travão nas expectativas de aumentos acelerados na taxa de juro.

 

Ainda assim predominou o sentimento negativo, que a bolsa nacional conseguiu contrariar devido ao desempenho do BCP. As acções do banco liderado por Nuno Amado valorizaram 1,2% para 0,295 euros.

 

Em sentido inverso, a Jerónimo Martins fechou a cair 1,22% para 17,06 euros, sendo que depois do fecho da sessão a retalhista vai apresentar as contas de 2017. Quinta-feira, também depois do fecho da sessão, será a vez de a EDP publicar os números do ano passado, sendo que os analistas do CaixaBI estão a contar com um resultado líquido de 1.343 milhões de euros, o que representa um aumento de 40% face aos 961 milhões de euros registados em 2016 devido às mais-valias obtidas com a venda da Naturgas e Portgás. As acções da empresa liderada por António Mexia fecharam a cair 0,54% para 2,753 euros.

 

A EDP Renováveis seguiu um caminho diferente da casa-mãe (as acções valorizaram 0,35% para 7,175 euros), depois de na terça-feira ter anunciado um aumento de quase 400% dos seus lucros em 2017 e uma subida do dividendo para 6 cêntimos por acção. 

Ainda a impulsionar o PSI-20 estiveram os CTT (+1,31% para 3,41 euros) a Corticeira Amorim (+1,19% para 10,20 euros) e a Galp Energia (+0,07% para 14,87 euros).

A pressionar em baixa estiveram a Navigator (-0,31% para 4,454 euros) e a Semapa (-1,23% para 19,24 euros), a corrigir dos máximos históricos fixados esta semana.

 
Pior mês desde Janeiro de 2017

No mês que hoje termina, o PSI-20 acumulou uma queda de 3,45%, o que representa o pior desempenho desde Janeiro de 2017, quando desceu 4,36%. Apesar de Fevereiro ter sido negativo, no acumulado do ano o índice português ainda apresenta um saldo positivo (1,48%), continuando a beneficiar com os fortes ganhos de Janeiro.

Entre as cotadas do PSI-20, apenas duas ganharam terreno em Fevereiro. A Semapa avançou 4,68% e a EDP Renováveis somou 1,77%.

 

A maior queda foi protagonizada pelo BCP, que recuou 8,41% a aliviar dos fortes ganhos registados em Janeiro. Sonae SGPS e Nos marcaram perdas mensais acima de 6%.

 

(notícia actualizada às 17:13 com mais informação)




A sua opinião88
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
EsguichoMachoAlfa 28.02.2018

Amigo Criador de Touros subscrevo inteiramente a sua opinião. Um arrefecimento nos mercados dos EUA poderá ser uma boa oportunidade para investimento na Europa; assim os governantes do lado de cá não estraguem tudo com mais geringonças. Abraço aos amigos sérios e bom descanso.

Criador de Touros 28.02.2018

Eu disse que não comentaria mercados, mas isto são coisas conjunturais. Nos EUA talvez mais volatilidade, que já começou, mas os fundos estão de olho na Europa. Europa que tem capitalizado muito pouco comparando com os EUA. No caso português parece-me que as cotadas portuguesas terão vida própria dependendo das suas circunstâncias. Mas os próprios EUA terão de se adaptar à nova realidade da certeza das subidas das taxas de juro. Quando tal acontecer na Europa, principalmente a banca e no caso português o BCP, poderão ter subidas grandes. Mas cada cotada também tem o seu ciclo e será determinada pelas sias circunstâncias, como já referi. Não repetirei comentários sobre acontecimentos que aí vêm. E estou curioso.

EsguichoMachoAlfa 28.02.2018

Prezados amigos, não é por causa do frio, mas, ao ver como anda Wall Street, atrevo-me a dizer o Bull Americano irá passar a Urso da Sibéria..se é que me estou a fazer entender..E já que estou com veia literária, aproveito para dizer que a Sinistra Geringonça, mais o tal Bailarino amigo, valem ZERO.

Re: Criador de Touros 28.02.2018

Ilustríssimo CT, mais um pormenor que vai ao conhecimento do massa bruta, mas esse, ele pode considerá-lo intimidatório, pois com essa altura ele é levado a pensar duas vezes antes de o tentar afrontar!

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub