Bolsa PSI-20 no vermelho com grupo EDP e Altri em queda

PSI-20 no vermelho com grupo EDP e Altri em queda

A bolsa nacional fechou em terreno negativo após dois dias seguidos em alta, isto numa sessão em que as perdas registadas pelas cotadas do grupo EDP e pela Altri foram as que mais penalizaram.
PSI-20 no vermelho com grupo EDP e Altri em queda
Tiago Sousa Dias
David Santiago 08 de outubro de 2019 às 16:43

O índice PSI-20 encerrou a sessão desta terça-feira, 8 de outubro, a recuar 0,40% para 4.913,35 pontos, com nove cotadas em queda e outras tantas em alta. A praça lisboeta interrompeu assim uma série de dois dias consecutivos a transacionar em terreno positivo.

A bolsa nacional acompanhou a tendência de quedas também verificada na generalidade das principais praças europeias, isto numa sessão em que o índice de referência europeu Stoxx600 se encaminha para fechar em queda pressionado pelas perdas de todos os setores europeus.

A penalizar o sentimento dos investidores que apontam para a impossibilidade de acordo entre Londres e Bruxelas sobre os termos do divórcio. O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, terá transmitido à chanceler alemã, Angela Merkel, que enquanto a União Europeia se mantiver intransigente na exigência de que a Irlanda do Norte se mantenha na união aduaneira mesmo depois de consumado o Brexit, então não haverá margem para acordar um compromisso entre as partes.

Também a contribuir para o pessimismo nas bolsas europeias está a nova escalada na tensão comercial que opõe os Estados Unidos à China, em concreto depois de Pequim ter vindo criticar duramente a decisão de Washington colocar na respetiva lista negra oito empresas tecnológicas chinesas

No plano nacional, grupo EDP e Altri destacaram-se pela negativa. A EDP perdeu 1,42% para 3,605 euros e a EDP Renováveis recuou 1,43% para 9,66 euros. Já a Altri acumulou a sexta queda consecutiva ao perder 3,34% para 5,21 euros, num dia em que tocou em mínimos de 23 de março de 2018 (5,15 euros por ação). 

Também no vermelho, a Galp Energia resvalou 1,35% para 13,485 euros, no dia em que revelou que a sua produção de petróleo aumentou 21% no terceiro trimestre deste ano. Continuando na energia, a REN terminou o dia a ceder 0,19% para 2,65 euros, um dia depois de o RBC Capital Markets ter elevado de 2,10 para 2,60 euros o preço-alvo atribuído aos títulos da cotada liderada por Rodrigo Costa.

A impedir uma maior descida do PSI-20 esteve o setor do retalho, em particular a Sonae, e a Mota-Engil. A Sonae ganhou 1,29% para 0,861 euros e a Jerónimo Martins cresceu 0,13% para 15,085 euros, enquanto a construtora apreciou 1,03% para 1,762 euros após ter assegurado um contrato no valor de 122 milhões de euros no Brasil

Ainda no verde estiveram as outras duas cotadas do setor do papel, com a Semapa a avançar 0,88% para 11,40 euros e a Navigator a crescer 0,26% para 3,052 euros. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI