Bolsa PSI-20 no vermelho pressionado pela EDP e CTT em novo mínimo

PSI-20 no vermelho pressionado pela EDP e CTT em novo mínimo

A bolsa nacional negociou em queda pela segunda sessão num dia em que a EDP, a Navigator e os CTT penalizaram, com os correios nacionais a registarem um novo mínimo de sempre. Subida de mais de 4% da Nos travou uma maior desvalorização da bolsa lisboeta.
A carregar o vídeo ...
David Santiago 09 de novembro de 2017 às 16:43

Esta quinta-feira registou uma grande amplitude na negociação bolsista, com o PSI-20 a alternar entre ganhos e perdas para culminar a sessão a perder 0,15% para 5.321,82 pontos, com 14 cotadas em queda e quatro em alta, no segundo dia consecutivo no vermelho, com a praça lisboeta a tocar no valor mais baixo desde 26 de Setembro.

 

Na Europa o sentimento predominante também foi negativo, com o Stoxx 600 a recuar pela terceira sessão seguida, especialmente pressionado pelo sector europeu das tecnologias. O índice de referência europeu transaccionou em mínimos de 26 de Outubro. Depois dos máximos alcançados nos últimos dias, as bolsas europeias corrigiram esta quinta-feira.

 

No plano nacional foi a EDP que mais pressionou, com a eléctrica a resvalar 1,06% para 2,98 euros. Em destaque pela negativa estiveram também a Navigator, que recuou 2,45% para 4,212 euros, e os CTT, que desceram 4,63% para 3,256 euros.

 

Os correios nacionais estabeleceram mesmo um novo mínimo histórico ao negociarem nos 3,25 euros por acção, com a cotada a continuar a ser pressionada pelos resultados decepcionantes e pelo corte de dividendos anunciados na semana passada.

Nota negativa ainda para a Pharol que desvalorizou 3,96% para 0,412 euros num momento de impasse no processo de reestruturação da brasileira Oi, na qual a cotada portuguesa detém mais de 20% do capital. Em sentido inverso e a impedir uma queda mais acentuada da bolsa nacional esteve a Nos que ao apreciar 4,58% para 5,224 euros registou a maior subida diária desde Setembro do ano passado. 

A operadora de telecomunicações beneficiou do aumento de 34,5% dos lucros obtidos nos primeiros nove meses deste ano (105,5 milhões de euros) face ao período homólogo.


No papel a tendência foi de quedas, com a Semapa a deslizar 1,65% para 16,38 euros e a Altri a ceder 0,13% para 5,37 euros. 

 

No sector energético a Galp Energia contrariou o sentimento predominante, com a petrolífera a ganhar 2,12% para 16,345 euros. Já a EDP Renováveis perdeu 0,91% para 6,987 euros e a REN deslizou 0,34% para 2,664 euros.

Por fim, também o BCP fechou a cair 0,45% para 0,2453 euros, isto apesar de o banco liderado por Nuno Amado ter passado boa parte da sessão a valorizar.


(Notícia actualizada às 16:55)