Bolsa PSI-20 renova mínimo de 2016 em nova sessão de inversões

PSI-20 renova mínimo de 2016 em nova sessão de inversões

Foi mais uma sessão de grande volatilidade para a bolsa nacional, com o PSI-20 a variar entre ganhos de 2,4% e perdas de quase 1% num dia em que renovou mínimos de junho de 2016 com Galp, BCP e EDP Renováveis a penalizar.
PSI-20 renova mínimo de 2016 em nova sessão de inversões
Reuters
David Santiago 11 de março de 2020 às 16:40

O índice PSI-20 encerrou a sessão desta quarta-feira, 11 de março, a recuar 0,47% para 4.217,44 pontos, com 13 cotadas em queda e as restantes cinco em alta, no quinto dia consecutivo de desvalorizações para a praça lisboeta. Em Lisboa voltou a registar-se grande volatilidade em nova sessão de inversões. O PSI-20 oscilou entre uma subida de 2,41% e uma descida de 0,98% que fez a praça lisboeta renovar mínimos de quase quatro anos.  

O principal índice nacional acompanhou a tendência também verificada nas bolsas europeias, que perderam terreno pela quinta sessão seguida. O índice de referência Stoxx600 recuou mesmo para a cotação mais baixa desde 2 de janeiro de 2019 com a generalidade dos setores a penalizar, sobretudo o turismo e o retalho que tiveram as descidas mais acentuadas.


Tal como na véspera, esta manhã as bolsas europeias arrancaram a negociação bolsista em alta face às garantias de ação concertada por parte da União Europeia, contudo inverteram para terreno negativo com os investidores a mostrarem apreensão para o que poderá ser considera uma resposta insuficiente das autoridades à pandemia do coronavírus, entretanto declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

No plano nacional o destaque pela negativa foi para a Galp Energia que perdeu 1,18% para 9,398 euros, em linha com a queda de 2,5% do Brent em Londres. Também a pressionar estiveram o BCP e a EDP Renováveis, que caíram respetivamente 0,32% e 0,87% para 0,1246 euros e 11,38 euros. 

Nota negativa ainda para a Nos que resvalou 1,27% para 3,1 euros, com a operadora de telecomunicações a transacionar em mínimos de abril de 2013 durante a sessão. 

No setor do papel, também a Altri tocou em mínimos de setembro de 2017 e a Navigator de julho de 2013 num dia em que as cotadas desvalorizaram 4% e 2,89% para 3,984 euros e 2,35 euros, respetivamente. A Semapa não escapou com uma queda de 1,92% para 10,24 euros. 

A travar uma descida mais expressiva da bolsa nacional estiveram a EDP (+1,43% para 4,033 euros) e os CTT (+1,14% para 2,12 euros).

Fora do PSI-20 esteve também em destaque a Cofina (dona de títulos como o Negócios e o Correio da Manhã), que fechou a afundar 16,46% para 0,34 euros depois de ter caído por terra a operação de aumento de capital para financiar a oferta pública de aquisição (OPA) da empresa liderada por Paulo Fernandes sobre a Media Capital.


(Notícia atualizada)




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI