Bolsa PSI-20 sobe com Pharol a disparar 6%. Sonae toca mínimos de mais de um ano

PSI-20 sobe com Pharol a disparar 6%. Sonae toca mínimos de mais de um ano

A bolsa nacional encerrou em alta ligeira, mas com apenas seis cotadas com sinal verde. A Pharol disparou mais de 6% enquanto a Sonae tocou no valor mais baixo desde Junho de 2017.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 24 de agosto de 2018 às 16:46

A bolsa nacional encerrou a sessão desta sexta-feira, 24 de Agosto, em terreno positivo, com o PSI-20 a valorizar 0,12% para 5.497,20 pontos. No entanto, das 18 empresas que formam o principal índice nacional, apenas seis fecharam a sessão com sinal verde: a Pharol, a EDP Renováveis, a Jerónimo Martins, a Galp, a Navigator e a REN. As restantes 12 fecharam com sinal vermelho.

 

Na Europa, os principais índices também seguem em alta, animados pelas palavras do presidente da Fed, Jerome Powell e pela valorização do petróleo, que está a impulsionar as empresas do sector.

 

No encontro de Jackson Hole, o líder da Fed admitiu não ver sinais de sobreaquecimento na economia norte-americana, nem de que a inflação esteja a acelerar acima da meta, e antecipou uma trajectória positiva para a economia dos Estados Unidos, que continuará a justificar a subida gradual dos juros.  

 

"Há bons motivos para se prever que o crescimento forte da economia vai continuar", afirmou Jerome Powell perante banqueiros e economistas no evento organizado pela Reserva Federal de Kansas City. "Acredito que o processo gradual de normalização se mantém adequado", defendeu o responsável.

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,08% para 383,67 pontos, animado sobretudo pelas empresas do sector mineiro e pelas cotadas do sector do petróleo e gás. Isto numa altura em que o petróleo de referência para a Europa, o Brent, soma 1,78% para 76,06 dólares.

 

Por cá, a Pharol e a Jerónimo Martins foram as empresas que mais contribuíram para a subida do PSI-20. A antiga PT SGPS disparou 6,07% para 21,85 cêntimos, enquanto a retalhista valorizou 1,9% para 13,40 euros.

 

A sua congénere do sector, pelo contrário, tocou, durante a sessão, no valor mais baixo em mais de um ano. A Sonae fechou o dia a cair 0,27% para 93,9 cêntimos, depois de ter chegado a descer 1,49% para 92,75 cêntimos, a cotação mais baixa desde Junho de 2017.

Esta quarta-feira, a Sonae anunciou que
 encerrou a primeira metade do ano com lucros de 98 milhões de euros, o que traduz um crescimento de 34,2% face ao primeiro semestre de 2017. Os resultados não foram muito bem recebidos pelo mercado, com as acções a descerem mais de 2%, na sessão seguinte. 

A contribuir para a tendência positiva do PSI-20 estiveram ainda a Galp Energia, com uma subida de 0,54% para 17,64 euros, e a EDP Renováveis, com uma valorização de 0,40% para 8,69 euros.  




pub