Bolsa PSI-20 sobe pela terceira sessão com BCP a ganhar 4% e Mota-Engil quase 6%

PSI-20 sobe pela terceira sessão com BCP a ganhar 4% e Mota-Engil quase 6%

A bolsa nacional acompanhou a tendência positiva dos principais índices europeus, que beneficiaram do alívio da tensão em relação aos efeitos do Irma e à Coreia do Norte.
PSI-20 sobe pela terceira sessão com BCP a ganhar 4% e Mota-Engil quase 6%
Miguel Baltazar/Negócios
Rita Faria 12 de setembro de 2017 às 16:46

A bolsa nacional encerrou em alta esta terça-feira, 12 de Setembro, com o PSI-20 a valorizar 0,61% para 5.138,27 pontos. Nove cotadas fecharam em alta, oito em queda e uma inalterada.  

 

Na Europa, o dia também é de ganhos, com as acções a beneficiarem do alívio dos receios em relação ao impacto do Irma e das novas sanções contra a Coreia do Norte, aprovadas pelo Conselho de Segurança da ONU. Ainda assim, as sanções foram menos pesadas do que o previsto, excluindo, por exemplo, o embargo do petróleo.

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,51% para 381,35 pontos, impulsionado sobretudo pelas cotadas da banca, do sector automóvel e mineração. Entre os principais índices europeus, a única excepção foi o londrino Footsie, que fechou a cair 0,16%.

 

Na bolsa nacional, a subida do PSI-20 foi impulsionada principalmente pelo BCP e pela Mota-Engil.

 

Dando seguimento à tendência das últimas sessões, marcadas por variações muito expressivas das acções, o banco liderado por Nuno Amado subiu 4,01% para 21 cêntimos, depois de ter caído 4,63% na sessão de ontem.

 

Na segunda-feira foi revelado que a Fosun passou a deter mais de 3,8 mil milhões de acções do BCP, o que corresponde a uma participação de 25,16% no capital do banco português.

 

Esta posição foi alcançada depois de a Fosun ter realizado transacções no dia 8 de Setembro, dia em que as acções fecharam a subir mais de 6%, depois de quatro dias com quedas elevadas (mais de 12% no acumulado).

 

A Mota-Engil, por seu lado, disparou 5,93% para 2,679 euros, o valor mais alto desde meados de Junho. As acções mantiveram os ganhos expressivos da manhã quando foi confirmado que a construtora assegurou contratos de 320 milhões na área dos resíduos da Costa do Marfim.

A contribuir para a valorização do PSI-20 estiveram ainda as cotadas do sector da energia e a Sonae. Na energia, a EDP Renováveis ganhou 0,37% para 7,023 euros, a Galp Energia avançou 0,53% para 14,26 euros e a EDP valorizou 0,76% para 3,321 euros, o valor mais alto desde Maio de 2016. Já a Sonae somou 1,38% para 95,5 cêntimos. 

O Montepio anunciou esta terça-feira a suspensão da negociação em bolsa das Unidades de Participação representativas do Fundo de Participação da Caixa Económica Montepio Geral, depois de terem sido conhecidos os resultados da OPA lançada pela mutualista.

Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a instituição deu conta da suspensão a partir desta terça-feira, inclusive, "e até ao registo comercial definitivo da transformação da CEMG em sociedade anónima, agendado para dia 14 de setembro de 2017." Depois desse dia, como já estava previsto, as unidades de participação serão excluídas do Euronext Lisbon. 

Do lado das perdas destacaram-se a Jerónimo Martins, com uma descida de 2,22% para 16,27 euros, e a Semapa, com uma desvalorização de 0,89% para 15,115 euros. 






Marketing Automation certified by E-GOI