Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PSI-20 volta ao vermelho com BCP a cair mais de 2%

Após duas valorizações seguidas, a bolsa nacional regressou às quedas no arranque desta semana, em especial penalizada pelas perdas registadas por BCP, Galp Energia e setor do papel.

Tiago Sousa Dias
David Santiago dsantiago@negocios.pt 11 de Maio de 2020 às 16:41
  • Assine já 1€/1 mês
  • 35
  • ...
O índice PSI-20 fechou a sessão desta segunda-feira, 11 de maio, a perder 0,67% para 4.209,83 pontos, isto após ter valorizado nas duas últimas sessões da semana passada.

Tal como a praça lisboeta, também as principais bolsas do velho continente interromperam uma série de duas sessões seguidas em alta para transacionar no vermelho. O índice de referência europeu Stoxx600 recuou pressionado pela generalidade dos setores, embora de forma mais acentuada pelas perdas das matérias-primas, turismo e banca. A travar maiores perdas na Europa estiveram as subidas dos setores do retalho e alimentar. 

Apesar de o abrandamento geral do número de casos confirmados de Covid-19, o que permite à generalidade dos governos europeus aprovarem medidas de desconfinamento gradual, a negociação bolsista ficou marcada pelo pessimismo decorrente das estimativas apresentadas pelo Goldman Sachs, com o banco norte-americano a estimar que o índice S&P 500 caia 20% nos próximos três meses. 

Por cá foi uma vez mais o BCP a contribuir decisivamente para o rumo da negociação, com o banco a desvalorizar 2,42% para 9,29 cêntimos num dia em que tocou na cotação mais baixa desde 21 de abril. O banco liderado por Miguel Maya teve uma prestação negativa no dia em que a filial polaca da instituição, o Bank Millennium, reportou ter registado lucros de 18,1 milhões de zlótis (4 milhões de euros) no primeiro trimestre deste ano, valor que representa uma queda de 89% face ao período homólogo.

Também a penalizar o sentimento em Lisboa esteve a Nos, a Galp Energia e o setor do papel. A operadora de telecomunicações resvalou 2,56% para 3,28 euros e a petrolífera deslizou 1,22% para 10,135 euros, isto numa altura em que o Brent, transacionado em Londres e utilizado como valor de referência para importações nacionais, cai mais de 3% para 29,98 dólares por barril. 

Já no setor do papel, a Navigator liderou as perdas com uma queda de 3,77% para 2,246 euros, acompanhada pela Semapa, que recuou 2,90% para 8,70 euros, e pela Altri, que perdeu 1,78% para 4,646 euros.

Nota negativa ainda para a EDP (-0,49% para 4,104 euros) e para os CTT (-1,44% para 2,06 euros). 

A impedir uma maior desvalorização do principal índice nacional esteve a EDP Renováveis e a Jerónimo Martins. A cotada liderada por Manso Neto somou 1,80% para 11,30 euros e a retalhista avançou 1,94% para 15,75 euros.

Destaque pela positiva ainda para a Ibersol que terminou o dia a disparar 7,45% para 4,04 euros, isto após no final da última semana ter anunciado que não distribuirá dividendos pelos acionistas devido à "deterioração da exploração" da atividade da empresa, a qual continua com restaurantes fechados e vai renovar o processo de "lay off" com vários trabalhadores.

(Notícia atualizada)
Ver comentários
Saber mais Bolsa Nacional PSI-20 BCP EDP Renováveis EDP Altri Semapa Navigator Galp Energia Nos CTT Jerónimo Martins Ibersol
Mais lidas
Outras Notícias