Bolsa PSI-20 cai pela quarta sessão com Galp a perder mais de 3%

PSI-20 cai pela quarta sessão com Galp a perder mais de 3%

A praça de Lisboa contrariou a tendência positiva das congéneres europeias, que recuperaram da pior primeira sessão do ano de sempre. A pressionar esteve sobretudo a Galp Energia, que desvalorizou mais de 3%.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 05 de janeiro de 2016 às 16:41

A bolsa nacional encerrou em terreno negativo esta terça-feira, 5 de Janeiro, pela quarta sessão consecutiva, com o PSI-20 a perder 0,30% para 5.215,44 pontos. Das 17 empresas que compõem o principal índice nacional, nove encerraram em queda, sete em alta e uma inalterada.

 

Durante a sessão, o PSI-20 chegou a deslizar um máximo de 1,36% para negociar no valor mais baixo desde 15 de Dezembro.

 

Lisboa contrariou a tendência da generalidade dos índices europeus que, apesar de terem estado em terreno negativo, recuperaram terreno no final da sessão, impulsionados pelas empresas produtoras de matérias-primas. Depois de ter registado a pior primeira sessão do ano de sempre, na segunda-feira, o índice de referência para a Europa, o Stoxx600, sobe nesta altura 0,36% para 357,93 pontos.

 

Na bolsa nacional, a Galp Energia foi a cotada que mais penalizou o PSI-20. A empresa liderada por Carlos Gomes da Silva desvalorizou 3,13% para 10,055 euros, numa altura em que o petróleo está em queda nos mercados internacionais.

 

O Brent, que serve de referência às importações europeias recua mais de 2% para 36,39 dólares por barril, antes de serem conhecidos os dados da Administração de Informação de Energia sobre as reservas de crude dos Estados Unidos.  

 

Ainda na energia, a EDP subiu 0,09% para 3,188 euros, e a EDP Renováveis perdeu 0,37% para 7,24 euros. Durante a sessão, a empresa liderada por Manso Neto chegou a valorizar mais de 1% para 7,344 euros, o valor mais alto desde Outubro de 2009.

A contribuir para a queda do PSI-20 esteve também o BPI com uma descida de 4,05% para 1,113 euros. O Negócios, na edição desta terça-feira, noticia que o BPI abre a porta a negociar com Isabel dos Santos. E que o BPI arrisca uma multa diária se falhar o prazo imposto pelo BCE. Os títulos do banco liderado por Fernando Ulrich valorizaram mais de 6% na segunda-feira, em reacção à oferta da Unitel de 140 milhões por 10% do Banco de Fomento de Angola (BFA) que são detidos pelo BPI. Ainda na banca, o BCP valorizou 3,73% para 5 cêntimos. 

No retalho, a Jerónimo Martins valorizou 1,8% para 11,845 euros e a Sonae subiu 0,48% para 1,057 euros. A Nos perdeu 1,06% para 7,10 euros e a Pharol desvalorizou 1,14% para 26 cêntimos. 

(Notícia actualizada às 16h48 com mais cotações)

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI