Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PT faz cisão da PT Multimédia para aumentar dividendos (act.)

A PT anunciou hoje à CMVM que pretende efectuar o «spin off» da PT Multimédia bem como um reforço da remuneração dos accionistas para o período de 2006-2008 de 3 para 3,5 mil milhões de euros, através da distribuição de acções da PTM. Este plano será impl

Pedro Carvalho pc@mediafin.pt 03 de Agosto de 2006 às 14:30
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A PT anunciou hoje à CMVM que pretende efectuar o «spin off» da PT Multimédia bem como um reforço da remuneração dos accionistas para o período de 2006-2008 de 3 para 3,5 mil milhões de euros, para além da distribuição de acções da PTM. Este plano será implementado se a OPA da Sonaecom falhar.

A Portugal Telecom (PT) [PTC] anunciou sua intenção de efectuar o «spin-off» da PT Multimédia [PTM] (PTM), detida em 58,43% pela PT, e o aumento da proposta de remuneração accionista para o período 2006-2008 de 3 mil milhões de euros para 3,5 mil milhões de euros, em acréscimo à distribuição de acções da PTM.

A implementação destas propostas está sujeita à aprovação pelos accionistas numa assembleia geral a convocar para o efeito, e a sua efectivação ficará condicionada à não concretização da oferta pública de aquisição anunciada pela Sonaecom.

«Após a análise das diferentes alternativas do ponto de vista  regulatório e tecnológico para responder às questões levantadas sobre a concentração no mercado de redes de acesso», o conselho de administração diz que concluir «a separação de redes através da implementação da rede aberta implicaria um processo moroso, de complexidade legal elevada e com custos acrescidos».

A separação da PT Multimédia poderá ser executada de forma mais célere e com menor risco de execução, segundo a operadora, «criando ao mesmo tempo um operador alternativo ao Grupo PT com dimensão em Portugal e capacidade de expansão a nível internacional».

O conselho de administração da PT concluiu também que a separação da PTM da PT «deverá contribuir positivamente para o desenvolvimento do sector de telecomunicações em Portugal, permitindo aos operadores no mercado a possibilidade de oferecer aos seus clientes serviços cada vez mais inovadores e convergentes».

«A estrutura de mercado resultante deverá diminuir a pressão regulatória a que o negócio de rede fixa está sujeito, dando-lhe a possibilidade de oferecer mais e melhores serviços aos seus clientes, enquanto que a PTM poderá prosseguir uma estratégia concorrencial própria, em Portugal e no estrangeiro», justifica a PT.  

A PT acredita que, ao permitir que cada empresa se concentre nas suas competências-chave, esta estratégia é passível de criar mais valor accionista no futuro.

«A separação proposta responde igualmente aos objectivos a longo prazo dos reguladores nacionais», diz o comunicado.

Outras Notícias