Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Queda dos juros da dívida também melhora avaliação do Millennium para a REN

A melhoria das estimativas e a descida da taxa de juro da dívida portuguesa conduziu a uma melhoria de 14% do preço-alvo do Millennium ib para a REN. O target está em 2,80 euros mas, dado o reduzido potencial de valorização, a recomendação é de neutral.

Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 26 de Fevereiro de 2014 às 12:58
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

Tal como tinha acontecido com a EDP Renováveis, o Millennium ib melhorou a avaliação das acções da REN – Rede Eléctrica Nacional para ajustar à descida da rendibilidade que a dívida pública portuguesa paga.

 

O novo preço-alvo da casa de investimento do BCP para a gestora da rede eléctrica portuguesa é de 2,80 euros, o que representa uma melhoria de 14,3% em relação aos 2,45 euros anteriormente estimados.

 

As acções da empresa liderada por Rui Cartaxo (na foto) estão hoje a ser negociadas nos 2,735 euros, um avanço de 0,74% face ao fecho de ontem. O novo “target”, para o final de 2014, prevê um potencial de subida de 2,4% face ao preço de hoje. Desde o início do ano, a REN acumula uma valorização de 22%.

 

Tendo em conta que o retorno absoluto é de cerca de 2%, a recomendação da unidade de investimento do BCP é de “neutral”, com “baixo risco”. Esta recomendação indica que o banco estima uma subida da empresa de entre zero e 10%.

 

De acordo com a nota de “research”, assinada pela analista Vanda Mesquita a 25 de Fevereira, a nova avaliação da REN deve-se à actualização da taxa de juro de referência associada às obrigações portuguesas a dez anos, que passou de 7% para 5%. A redução dos custos de capital (que remuneram tendo como base esta taxa de rendibilidade) dão 25 cêntimos ao preço-alvo.

 

“A REN é uma acção sensível à taxa de juro e está a beneficiar da tendência descendente da taxa de juro implícita de Portugal e também do elevado dividendo”. A REN pagou um dividendo bruto de 17 cêntimos no ano passado. A empresa estima uma rentabilidade do dividendo de 7,6% este ano.

 

“Acreditamos que a empresa continue a pagar um dividendo interessante nos próximos anos (17,1 cêntimos em 2014, com um avanço de 1 cêntimo por ano)”, aponta Vanda Mesquita.

 

O processo de privatização da REN, onde a gestora de participações do Estado Parpública ainda detém 11,1%, deverá ficar concluído este ano, segundo a analista, o que será um acontecimento a seguir, da mesma forma que será o anúncio de um novo enquadramento legal para o transporte de electricidade em Portugal. Neste aspecto, Vanda Mesquita não espera grandes alterações face ao existente actualmente.

 

A REN irá apresentar os resultados relativos a 2013 no próximo dia 6 de Março. A actualização de estimativas para o presente ano contribuiu para 10 cêntimos da subida total de 35 cêntimos do "target".

 

O lucro estimado é de 120 milhões de euros, ligeiramente abaixo dos 124 milhões registados em 2012. As receitas deverão crescer de 811 para 812 milhões, sendo que o EBITDA poderá aqui ganhar margem, ao avançar de 515 para 521 milhões de euros.

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

Ver comentários
Saber mais REN Rui Cartaxo research
Outras Notícias