Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Quedas superiores a 6% da JM e Mota-Engil penalizam bolsa nacional

O PSI-20 acompanha a tendência negativa dos congéneres europeus, numa altura em que o ganho da Galp Energia trava maiores perdas.

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 26 de Fevereiro de 2014 às 13:23
  • Assine já 1€/1 mês
  • 69
  • ...

O principal índice da bolsa nacional desvaloriza 1,30% para 7.246,39 pontos, com 16 acções em queda e três a cair (o PSI-20 negoceia com 19 cotadas após a saída da Sonaecom a 24 de Fevereiro). Entre os congéneres europeus a tendência também é de queda, com os índices a corrigirem de máximos de cerca de seis anos e com os investidores a aguardarem a divulgação de indicadores económicos nos Estados Unidos (vendas de casas novas). 

 

Por cá, a Jerónimo Martins cai 6,53% para  12,16 euros e é o título que mais pressiona a bolsa nacional. A retalhista já afundou, aliás, 7,23% depois de ontem, já após o fecho do mercado, ter reportado os seus resultados referentes a 2013. A dona dos supermercados Pingo Doce terminou o ano com um aumento dos lucros de 6% para 382,3 milhões de euros, com os analistas a destacarem a queda acentuada das margens na Polónia.

 

Ainda no retalho, a Sonae perde 2,20% para 1,292 euros.

 

A Mota-Engil também está a ser determinante para a tendência negativa do mercado nacional ao cair 7,31% para 4,795 euros. As acções da construtora foram suspensas entre as 8h00 e as 10h00 desta quarta-feira, devido ao processo de venda de acções por parte da Família Mota e da própria construtora.

 

As acções da Mota-Engil regressaram à negociação com uma quebra em torno de 5%, depois de duas horas sem trocarem de mãos. Neste momento perdem 7,31% para 4,795 euros, acima dos 4,65 euros praticados na venda de acções pela família Mota.

 

A descida em bolsa era antecipada pelo mercado, devido ao desconto feito na operação de venda a institucionais, embora o especialista da corretora XTB, Steven Santos, considere que a "notícia é muito positiva para a acção a médio prazo".

 

Ainda a penalizar a bolsa nacional, está a Portugal Telecom, que cai 1,25% para 3,247 euros. Nas telecomunicações, a Zon Optimus desvaloriza 1,59% para 5,26 euros enquanto a Sonaecom desliza 1,90% para 2,06 euros.

 

A banca também está a ser determinante para a tendência com BCP e BES a depreciarem 1,12% para 0,1942 euros e 1,52% para 1,359 euros, respectivamente. Já o Banco BPI escorrega 0,23% para 1,72 euros.

 

A travar maiores perdas está a Galp Energia, que avança 1,29% para 12,165 euros, contrariando, de resto, a tendência do sector, já que EDP e EDP Renováveis caem 0,29% para 3,05 euros e 0,69% para 4,727 euros, respectivamente. A participada da EDP anunciou hoje um aumento dos lucros de 7% para 135 milhões de euros.  

Ver comentários
Saber mais Bolsa PSI-20 Jerónimo Martins Mota-Engil
Outras Notícias