Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Reforço da Bestinver "positivo" para a Sonae SGPS

Os analistas do BPI aplaudem o reforço da posição da Bestinver Gestión no capital da Sonae SGPS. A gestora de fundos passou a deter uma participação qualificada na "holding" da família Sonae, o que é "um importante sinal da avaliação tentadora" a que a companhia está a negociar.

Reforço da Bestinver "positivo" para a Sonae SGPS
Raquel Godinho rgodinho@negocios.pt 03 de Março de 2009 às 11:08
Os analistas do BPI aplaudem o reforço da posição da Bestinver Gestión no capital da Sonae SGPS. A gestora de fundos passou a deter uma participação qualificada na “holding” da família Sonae, o que é “um importante sinal da avaliação tentadora” a que a companhia está a negociar.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a Sonae SGPS anunciou ontem que a Bestinver Gestión, uma gestora de fundos espanhola, reforçou a presença no seu capital, passando a deter 40.507.548 acções representativas de 2,03% do seu capital.

A equipa de analistas do BPI acredita que esta notícia deverá ter um impacto “positivo” para a companhia liderada por Paulo de Azevedo, “pois a Bestinver não detinha participação qualificada anteriormente, dando um importante sinal da avaliação tentadora em que a Sonae está actualmente a negociar”.

O banco de investimento relembra que a gestora de fundos também detém posições relevantes em cotadas portuguesas como a Altri, Corticeira Amorim, Ibersol, Portucel e Semapa.

O BPI apresenta uma recomendação de “comprar” para a Sonae SGPS cujas acções avalia 1,05 euros.

Pedro Morais, analista do Espírito Santo Research (ESR), apresenta uma opinião “neutral” relativamente a este reforço, avançando que a “Bestinver tem estado activamente a construir posições em algumas companhias portuguesas nos últimos dois anos e este investimento deve estar em linha com essa estratégia”.

O banco de investimento atribui um “rating” de “comprar” e um preço-alvo de 1,50 euros à empresa liderada por Paulo de Azevedo.

As acções da empresa seguiam a desvalorizar 0,46% para os 0,436 euros.



Ver comentários
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio