Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Reservas de Petróleo da OCDE registam maior queda em dez anos

As reservas de petróleo nos 30 países da OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico registaram, em Fevereiro, a maior queda dos últimos dez anos. O tempo frio e os cortes de produção da OPEP são as causas desta redução, de acordo com

Ana Luísa Marques anamarques@negocios.pt 13 de Março de 2007 às 12:41
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As reservas de petróleo nos 30 países da OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico registaram, em Fevereiro, a maior queda dos últimos dez anos. O tempo frio e os cortes de produção da OPEP são as causas desta redução, de acordo com a Agência Internacional de Energia (AIE).

Nos primeiros dois meses de 2006, os "stocks" de petróleo dos países da OCDE caíram em mais de 1,26 milhões de barris por dia. Esta queda é explicada pelo tempo frio e pelos cortes de produção anunciados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP). Com o objectivo de manter o preço da matéria-prima perto dos 60 dólares, a OPEP decidiu no espaço de quatro meses reduzir a produção em 1,7 milhões de barris por dia.

A AIE estima que a procura mundial de petróleo aumente 1,8% em 2007 para os 86 milhões de barris por dia.

A organização, responsável por 40% da produção mundial, vai estar reunida em Viena quinta e sexta-feira, mas desta vez tudo aponta para que não seja anunciada uma nova redução. Para a AIE, "todos os sinais indicam que a OPEP não vai alterar o valor da produção na reunião de Viena".

"Na verdade, a tendência das reservas e dos preços indica que no curto prazo a OPEP terá que subir as exportações", diz a AIE no seu relatório mensal divulgado hoje.

A agência estima que a produção dos 12 membros da OPEP caiu em 130 mil barris em Fevereiro para os 30,21 milhões – este valor já inclui 1,56 milhões de barris provenientes de Angola, país que entrou na organização no inicio deste ano.

Excluindo Angola e o Iraque, que não fazem parte dos cortes de produção, a produção dos outros dez membros caiu em 360 mil barris por dia para os 26,77 milhões.

Ver comentários
Outras Notícias