Bolsa Resultados trimestrais e desistência da Amazon nos medicamentos animam Wall Street

Resultados trimestrais e desistência da Amazon nos medicamentos animam Wall Street

As bolsas norte-americanas encerraram em alta, sustentadas pelo facto de os investidores estarem a centrar as atenções nos resultados do primeiro trimestre das empresas norte-americanas. As tensões geopolíticas ficaram, assim, para segundo plano.
Resultados trimestrais e desistência da Amazon nos medicamentos animam Wall Street
Reuters
Carla Pedro 16 de abril de 2018 às 21:05

O Dow Jones encerrou a ganhar 0,88% para 24.574,31 pontos e o Standard & Poor’s 500 avançou 0,81% para 2.677,84 pontos.

 

Por seu turno, o Nasdaq Composite valorizou 0,70% para 7.156,28 pontos.

 

As cotadas norte-americanas continuam a apresentar os seus resultados do primeiro trimestre e a banca continua em destaque. Depois de na sexta-feira ter sido a vez do Citigroup, JPMorgan e Wells Fargo, e de hoje ter sido o Bank of America a divulgar as suas contas, amanhã será a vez do Goldman Sachs.

 

Wall Street está também à espera que os resultados sejam suficientemente robustos entre as principais tecnológicas, de modo a que este sector volte a cair nas boas graças dos investidores.

 

Estas expectativas levaram a que os mercados accionistas do outro lado do Atlântico deixassem hoje para segundo plano os receios em torno das tensões no Médio Oriente, onde se destaca a Síria.

 

Os investidores estão à espera de desenvolvimentos neste domínio, depois de os EUA, Reino Unido e França terem bombardeado alvos na Síria em resposta a um ataque químico atribuído às forças leais ao regime de Bashar al-Assad.

 

Os receios em torno de conflitos no Médio Oriente diminuíram um pouco, já que não se antevêem, de momento, mais acções militares – uma vez que o presidente norte-americano declarou "missão cumprida" após os bombardeamentos, esperando-se agora que a próxima medida possa ser um endurecer das sanções contra a Rússia, que é aliada de Assad.

 

Um dos principais destaques na sessão bolsista de Wall Street, pela positiva, foi o do sector farmacêutico, que ganhou bastante terreno depois do anúncio de que a retalhista online Amazon "emprateileirou" um plano para venda de medicamentos.