Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Roubini falhou a escalada das bolsas

Em Julho de 2006, mais de dois anos antes do colapso do Lehman Brothers, o então desconhecido professor de Economia Nouriel Roubini antecipou uma crise económica "profunda" nos Estados Unidos, que levaria à falência de grande bancos e à queda dos mercados bolsistas.

Ana Luísa Marques anamarques@negocios.pt 27 de Agosto de 2009 às 00:01
  • Assine já 1€/1 mês
  • 13
  • ...
Em Julho de 2006, mais de dois anos antes do colapso do Lehman Brothers, o então desconhecido professor de Economia Nouriel Roubini antecipou uma crise económica "profunda" nos Estados Unidos, que levaria à falência de grande bancos e à queda dos mercados bolsistas.

Na altura, estas previsões valeram-lhe a alcunha de "profeta da desgraça". Com a economia norte-americana a crescer a um ritmo trimestral de 3%, o mundo estava longe de imaginar a grave crise financeira que um ano mais tarde iria afectar primeiro os Estados Unidos e, depois, toda a economia global.

Em pouco mais de dois anos, Nouriel Roubini passou de desconhecido a "guru". E as suas previsões - normalmente pessimistas - já não passam despercebidas. Mas fazer previsões em tempos de crise não é fácil. Principalmente, durante crises tão graves e profundas como a actual.

A 9 de Março deste ano, Roubini lançou um sinal de alerta ao mercado. O índice norte-americano S&P 500 iria cair para os 600 pontos. Os mercados bolsistas continuam a enfrentar riscos "severos" e devem continuar a cair devido à queda dos lucros das empresas e à contracção da economia global, afirmou Roubini numa entrevista.

Ora aquele foi o dia em que as acções atingiram o nível mais baixo na crise.

Quem optou por não investir em acções do índice norte-americano perdeu o maior ciclo de ganhos desde a Grande Depressão. É que desde 9 de Março o índice S&P 500 subiu mais de 51%, tendo já superado a barreira dos 1.000 pontos.

Laszlo Birinyi, especialista em mercados bolsistas e uma das pessoas que mais vezes antecipou correctamente o desempenho do Dow Jones durante a década de 90, afirmou à agência Bloomberg que Roubini não conseguiu prever a subida das bolsas porque "não está focado nos mercados bolsistas". "Roubini fez um trabalho muito bom na área económica", acrescentou .

Ainda assim, o professor de Economia da Universidade de Nova Iorque conseguiu antecipar correctamente a queda do S&P 500 entre Novembro de 2008 e o início de Março de 2009.

Ver comentários
Outras Notícias