Bolsa Sessão morna dita ganhos ligeiros em Wall Street

Sessão morna dita ganhos ligeiros em Wall Street

As bolsas do outro lado do Atlântico praticamente inalteradas face à véspera, com uma subida muito marginal do Dow Jones e S&P 500 e uma ligeira descida do Nasdaq. Chegaram a ter ganhos superiores, ainda impulsionadas pela expectativa de uma nova ronda de negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China, mas o facto de Trump ter dado instruções para que se avance com as tarifas sobre produtos chineses arrefeceu o entusiasmo.
Sessão morna dita ganhos ligeiros em Wall Street
EPA
Carla Pedro 14 de setembro de 2018 às 21:05

O Dow Jones fechou a somar 0,03% para 26.154,47 pontos e o Standard & Poor’s 500 avançou 0,03% para 2.905,02 pontos – naquela que foi a quinta sessão consecutiva no verde.

 

Já o tecnológico Nasdaq Composites cedeu 0,05% para 8.010,04 pontos.

 

As bolsas do outro lado do Atlântico estiveram ainda a reagir com satisfação ao convite de Washington a Pequim para uma nova ronda se conversações. Os investidores aplaudiram estes esforços para aliviar as fricções comerciais entre as duas partes, o que tem estado a animar as bolsas do outro lado do Atlântico.

 

No entanto, ainda ontem, o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que os EUA não estão sob pressão para chegar a um acordo, o que refreou o entusiamo. E hoje foi reportado pela imprensa que o chefe da Casa Branca terá dado intruções para que se avance com as tarifas alfandegárias sobre os produtos chineses, o que travou mais um pouco o optimismo dos investidores.

 

Não foi, contudo, um revés suficiente para inverter a tendência geral da sessão de hoje, tendo Wall Street encerrado com ganhos marginais.

 

O sector tecnológico, que será bastante penalizado com uma guerra comercial, esteve a ganhar terreno nas últimas sessões com esta nova expectativa de entendimento e hoje foi um dos que apresentou melhor desempenho na abertura da sessão, com destaque para a Apple, Microsoft, Alphabet (casa-mãe da Google), Facebook e Amazon.

Contudo, o arrefecimento do entusiasmo em torno das tensões comerciais EUA-China acabou por fazer inverter a tendência nas tecnologias, o que penalizou o Nasdaq.

 

 




pub