Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Sonae sobe mais de 3% com revisão em alta da Lisbon Brokers (act.)

A Lisbon Brokers reviu em alta a sua avaliação para os títulos da Sonae SGPS, subindo o “target” em 14% para 2,50 euros. As acções da “holding” liderada por Paulo Azevedo reagiram em alta de 3,48% para máximos de Fevereiro.

Paulo Moutinho 07 de Maio de 2007 às 14:32
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Lisbon Brokers reviu em alta a sua avaliação para os títulos da Sonae SGPS, subindo o "target" em 14% para 2,50 euros. As acções da "holding" liderada por Paulo Azevedo reagiram em alta de 3,48% para máximos de Fevereiro.

O novo preço-alvo, gerado através do modelo da soma-das-partes, resulta da antevisão de um crescimento dos lucros trimestrais da "holding" para 17,4 milhões de euros.

Em reacção, as acções da Sonae SGPS [SON] seguiam em alta de 2,99% para os 2,07 euros, a aliviarem de um ganho máximo de 3,48%. Ao longo sessão, o título tocou nos 2,08 euros, máximos de Fevereiro.

A Sonae SGPS vai revelar as suas contas do primeiro trimestre na próxima quinta-feira, após o fecho do mercado.

O analista John dos Santos estima "um lucro líquido de 17,4 milhões de euros, uma melhoria considerável em termos homólogos se excluirmos os efeitos extraordinários".

Para este resultado terá contribuído o "crescimento homólogo de 6,2% nas receitas totais do grupo para 1,12 mil milhões de euros e o forte crescimento de 7,9% no EBITDA para os 106,1 milhões de euros e uma consequente melhoria de 30 pontos base na margem EBITDA para os 10,5%", refere a Lisbon Brokers.

"Depois de ajustarmos as nossas estimativas e modelo para a nossa antevisão dos resultados do primeiro trimestre", a Lisbon Brokers, tendo por base o seu modelo da soma-das-partes, subiu o preço-alvo da Sonae SGPS para 2,50 euros.

A anterior avaliação da casa de investimento era de 2,20 euros pelo que o novo "target" representa uma melhoria de 14%. Face à actual cotação da Sonae SGPS, de 2,02 euros, o novo preço-alvo apresenta um potencial de valorização de 23,7%.

Dado o potencial de subida dos títulos face à nova avaliação, John dos Santos reforçou a "recomendação de ‘forte compra’, bem como a nossa classificação da empresa como uma das nossas ‘Top Picks’ em Portugal para 2007".

Ver comentários
Outras Notícias