Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

S&P500 atinge novo recorde com investidores a incorporar resultados

O índice norte-americano S&P500 atingiu os 1.986,77 pontos, o valor mais alto de sempre, numa altura em que os investidores estão a incorporar os resultados de empresas como a Apple, Microsoft e Boeing. O índice ganha mais de 7% desde o início do ano.

Bloomberg
Rita Faria afaria@negocios.pt 23 de Julho de 2014 às 14:44
  • Partilhar artigo
  • 1
  • ...

Os principais índices norte-americanos abriram esta quarta-feira, 23 de Julho, em terreno positivo pela segunda sessão consecutiva, numa altura em que os investidores estão a incorporar os resultados das empresas, como a Apple, Microsoft e Boeing.

 

O índice industrial Dow Jones foge à regra e regista um recuo ligeiro de 0,09% para 17.098,35 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq avança 0,3% para 4.469,277 pontos. O S&P500 valoriza 0,2% para 1.986,77 pontos, um novo máximo histórico.

 

A Apple anunciou ontem que os lucros do seu terceiro trimestre fiscal ascenderam a 7,75 mil milhões de dólares, um aumento de 12% face ao período homólogo do ano anterior. A contribuir para a melhoria do resultado líquido da Apple esteve o forte aumento das vendas de iPhones e Macs, que ajudaram a compensar a queda na procura de iPads, refere a tecnológica em comunicado. As acções avançam 0,82% para 95,50 dólares. 

 

Já os lucros da Microsoft no seu quarto trimestre fiscal, terminado a 30 de Junho, ascenderam a 4,61 mil milhões de dólares, ou 55 cêntimos por acção, já incluindo os ajustamentos relacionados com a Nokia, anunciou a empresa em comunicado. Os analistas apontavam para um lucro médio de 60 cêntimos por acção.

 

A queda dos lucros foi assim de 7%, já que no período homólogo do ano passado o resultado líquido tinha sido de 4,97 mil milhões de dólares.

 

Excluindo os ajustamentos relacionados com a Nokia e com os impostos, os lucros teriam sido de 66 cêntimos por acção, superando a estimativa média de 64 cêntimos. O título perde 0,33% para 44,68 dólares. 

 

Esta quarta-feira foi a vez de a Boeing apresentar os resultados do segundo trimestre que superaram as estimativas dos analistas e de rever em alta as estimativas de lucros para 2014.

 

No segundo trimestre deste ano, os lucros da Boeing foram de 2,42 dólares por acção, resultado que ficou acima das estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg, que previam um resultado líquido de 1,98 dólares por acção. Já as vendas subiram 1% para 22 mil milhões de dólares (cerca de 16,29 mil milhões de euros), segundo os números divulgados esta quarta-feira. As acções da boeing caem 1,31% para 128,04 dólares. 

 

O índice S&P500 acumula uma valorização superior a 7% desde o início do ano, devido aos resultados das empresas mais positivos do que o esperado e aos estímulos da Reserva Federal, numa altura em que a economia dos Estados Unidos mostra sinais de recuperação depois da contracção de 2,9% registada no primeiro trimestre.  

 

Entre as várias empresas que já apresentaram resultados até ao momento, 77% superou as estimativas dos analistas no que diz respeito aos lucros e 67% superou as estimativas de receitas, de acordo com os dados compilados pela Bloomberg.

 

Os índices norte-americanos estão ainda a beneficiar dos dados da inflação divulgados ontem, que estão a criar expectativas que a Reserva Federal não seja levada a subir os juros num futuro próximo. O custo de vida nos Estados Unidos subiu 0,3% em Junho, ficando enquadrado nas expectativas dos 85 economistas consultados pela Bloomberg, que apontavam para um intervalo entre uma quebra de 0,2% e uma subida de 0,4%.

 

A presidente da Fed, Janet Yellen, garantiu recentemente que os juros permanecerão baixos por um "período de tempo considerável" depois de o banco central norte-americano terminar o seu programa de compra de activos, o que deverá acontecer em Outubro.

Ver comentários
Saber mais Apple Microsoft Nokia Boeing Estados Unidos Janet Yellen economia negócios e finanças
Outras Notícias