Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Taxa de juro média do crédito à habitação sobe em 2019 pelo segundo ano

Apesar da taxa implícita se ter vindo a aproximar de 1%, considerando o acumulado do ano, o juro médio dos créditos da casa aumentou em 2019 pelo segundo ano.

Patrícia Abreu pabreu@negocios.pt 20 de Janeiro de 2020 às 11:40
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

As taxas de juro implícitas do crédito à habitação recuaram em dezembro, para 1,011%, com este indicador a continuar a aproximar-se de 1%. No entanto, apesar das descidas registadas nos últimos anos, a taxa de juro média registada no acumulado do ano aumentou para 1,06%.


Os juros associados ao crédito da casa continuam a baixar. A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação atingiu 1,011% em dezembro, abaixo dos 1,017% registados um mês antes, com os juros a ficarem cada vez mais próximos de 1%.


Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro desceu de 1,086% para 1,065%, segundo os dados divulgados esta manhã pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).


Considerando os créditos com o destino de financiamento aquisição de habitação, o mais relevante no conjunto do crédito à habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos desceu para 1,032%, o que representa uma descida de 0,8 pontos face a novembro. Nos novos contratos, a taxa de juro diminuiu de 1,062% para 1,038%.


Taxa média no ano sobe


Apesar da descida mensal, considerando a média na totalidade de 2019, o valor dos juros implícitos nos créditos da casa fixou-se em 1,060%, 2,5 pontos base acima da taxa registada em 2018. Segundos os dados do INE, no destino de financiamento aquisição de habitação, a taxa de juro média subiu 1,9 pontos base, para 1,080%. Este trata-se do segundo aumento anual, depois de em 2018 a taxa média se ter situado em 1,035%, acima dos 1,020% fixados um ano antes.

Este aumento da taxa de juro média, num período marcado por novos mínimos da Euribor e descida de "spreads", pode ser explicado pelo maior peso dos créditos a taxa fixa, contratos com taxas superiores às aplicadas pelos empréstimos realizados com taxa variável.

O capital médio anual em dívida para o total do crédito e para o destino de financiamento aquisição de habitação, passou de 51.997 euros e 58.615 euros em 2018, para 52.940 euros e 59.700 euros em 2019. Já a prestação média anual vencida para o total do crédito à habitação subiu cinco euros em 2019, para 246 euros.

Ver comentários
Saber mais INE crédito à habitação taxas implícitas taxa fixa Euribor
Outras Notícias