Bolsa Teixeira Duarte desliza para novo mínimo histórico

Teixeira Duarte desliza para novo mínimo histórico

As acções da Teixeira Duarte já estiveram a cair mais de 4%, atingindo um novo mínimo histórico, depois de conhecidos os resultados do terceiro trimestre.
As acções da Teixeira Duarte estão estáveis nos 0,17 euros, tendo chegado a ceder 4,12% para 0,163 euros, o que corresponde ao valor mais baixo de sempre. No acumulado do ano, as acções da construtora estão a descer 47,7%.

A contribuir para a queda das acções estão essencialmente dois factores: os resultados e o pedido de estatuto de empresa em reestruturação. 

Na segunda-feira, 28 de Novembro, ao final do dia, a construtora liderada por Pedro Teixeira Duarte revelou que nos primeiros nove meses deste ano registou um prejuízo de 26,3 milhões de euros, um valor que compara com lucros de 17 milhões no mesmo período de 2015. O grupo sublinha contudo uma recuperação no terceiro trimestre relação aos primeiros seis meses deste ano, já que entre Junho e Setembro obteve um resultado positivo de 9,5 milhões.

As perdas acumuladas desde o início do ano são justificadas pela empresa pela variação das diferenças de câmbio e a variação da perda por imparidade na participação no BCP, que em Setembro foi de cerca de 16,2 milhões de euros.

No fim-de-semana soube-se que a construtora Teixeira Duarte fez um pedido de empresa em reestruturação ao Governo, que está a ser analisado, e que poderá levar à saída de cerca de 300 trabalhadores em três anos. Fonte envolvida no processo disse à Lusa que o pedido foi feito pela Teixeira Duarte - Engenharia e Construções em Julho e refere que a maioria dos trabalhadores é redundante na actual estrutura da empresa ou são empregos alocados a trabalhos que já terminaram.

Acções caem perto de metade do valor este ano:




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI