Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Valor dos fundos de investimento cresce 0,7% em Fevereiro

Os montantes geridos pelos fundos de investimento mobiliário (FIM) atingiu os 28,966 mil milhões de euros no final de Fevereiro, o que representa um crescimento de 0,7% face ao mês anterior. No entanto, os "portfolios" dos fundos nacionais diminuíram d

Patrícia Silva Dias patriciadias@negocios.pt 09 de Março de 2007 às 12:58
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Os montantes geridos pelos fundos de investimento mobiliário (FIM) atingiu os 28,966 mil milhões de euros no final de Fevereiro, o que representa um crescimento de 0,7% face ao mês anterior. No entanto, os "portfolios" dos fundos nacionais diminuíram desde o início do ano.

De acordo com o relatório estatístico mensal da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Património (APFIPP), divulgado hoje, em Fevereiro registaram-se 1,491 mil milhões de euros em subscrições de fundos, enquanto que o valor dos resgates atingiu os 1,269 mil milhões. Trata-se de um saldo líquido de 221,6 milhões de euros.

Apesar da subida no valor das carteiras geridas pelos fundos portugueses e das novas subscrições, o último mês não foi suficiente para compensar a queda que se verifica desde o início do ano. Segundo a APFIPP, o volume dos activos sob gestão desceu 0,6% nos primeiros dois meses do ano.

Também os resgates de fundos são superiores às subscrições, detectando-se um saldo negativo de 333,1 milhões de euros desde o final de Dezembro de 2006.

O mês de Fevereiro foi assinalado pelo aparecimento de uma nova sociedades gestora, a Valor alternantico, para além do lançamento de quatro novos fundos de investimento: Caixagest Infraestruturas FEI, Caixagest Matérias Primas FEI, Millennium Imobiliário FEI e Santander Infra-Estruturas FEI.

A Caixagest manteve a liderança do mercado com um volume de activos de 6,631 mil milhões de euros, o que corresponde a uma quota de 22,9%. E foi também a sociedade que mais cresceu em Fevereiro, quer em valores percentuais (3,2%) quer em valores absolutos (207,5 milhões de euros).

Outras Notícias