Bolsa Wall Street abre optimista à espera da decisão da Fed

Wall Street abre optimista à espera da decisão da Fed

A reunião da Reserva Federal termina esta quarta-feira e a expectativa é que a taxa de juro suba pela segunda vez este ano. Os investidores aguardam os sinais da Fed.
Wall Street abre optimista à espera da decisão da Fed
EPA
Tiago Varzim 13 de junho de 2018 às 14:41
Wall Street abriu esta quarta-feira, 13 de Junho, em terreno positivo, acompanhando os ganhos que se registam nas bolsas europeias. Há um sentimento positivo nos mercados antes da decisão da Reserva Federal sobre os juros, que deverá ser anunciada esta tarde. 

O S&P 500 sobe 0,04% para os 2.787,72 pontos, o Dow Jones avança 0,056% para os 25.335,66 pontos e o Nasdaq valoriza 0,11% para os 7.712,59 pontos. É o sector das telecomunicações e dos media que está a impulsionar Wall Street. A contribuir para este desempenho está a aprovação da fusão entre a AT&T e a Time Warner.

Mas o que está a marcar os mercados é a reunião da Fed. O encontro do banco central americano termina esta quarta-feira e tem sido dado como certo que será anunciado um aumento de juros para os EUA. A concretizar-se será a segunda subida este ano já com Jerome Powell enquanto presidente da Fed. Actualmente a taxa directora está fixada num intervalo entre 1,5% e 1,75%, podendo aumentar 25 pontos base.

Os investidores estão expectantes com os sinais que serão deixados pelos responsáveis pela política monetária do Estados Unidos numa semana em que também o Banco Central Europeu tem uma reunião marcada. Uma pequena aceleração da inflação norte-americana em Maio voltou a trazer à tona a ideia de que podem haver quatro subidas dos juros este ano.

"Acho que não vão dizer nada especificamente relacionado com a subida de juros em Dezembro. Se disserem um pouco mais sobre a inflação, dará motivos de preocupação para o mercado", disse Robert Pavlik, estratega-chefe na SlateStone, à Reuters. 

No que toca a cotadas em destaque as atenções estão viradas para o sector das telecomunicações e do entretenimento. Depois do negócio entre a gigante das telecomunicações norte-americana AT&T e a produtora Time Warner ser aprovado pelos tribunais dos EUA, os investidores foram rápidos a apostar que está a chegar uma onda de fusões no sector.

As acções da produtora Lions Gate Entertainment sobem 4,2% e as da Discovery 3,9%, assim como as acções do canal de televisão CBS (+3%) ou da empresa de telecomunicações Viacom (+3,18%). Uma das fusões que também deverá avançar é a da produtora 21st Century Fox (+7,36%) com a empresa de telecomunicações Comcast (-2,9%), segundo a Bloomberg. A Walt Disney, que também está na corrida pela Fox, valoriza 1,49% esta quarta-feira. 

Por outro lado, as acções da AT&T estão a cair 4,24% para os 32,9 dólares - após seis sessões de subidas - enquanto as acções da Time Warner sobem 3,47% para os 99,56 dólares. A queda da AT&T está relacionada com os receios da dívida que a empresa vai acumular com esta aquisição. "[O negócio] será negativo para a folha de balanço [da AT&T]", diz o analista da Moffett Nathanson’s, Craig Moffett, que reduziu a recomendação para "vender". Estima-se que a dívida total da AT&T ascenda a 249 mil milhões de dólares. 

(Notícia actualizada pela última vez às 14h50)



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
INAPA Há 6 dias

2018 INAPA, desce 40%, ALTRI sobe 800%, já esteve a 1€, NAVIGATOR sobe 150%, já esteve a 2€, INAPA será a próxima a subir, está a dar dinheiro e na moda o sector do papel: http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/inapa-volta-a-ser-a-empresa-portuguesa-mais-internacional

pub