Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Wall Street com ganhos ligeiros à espera de apresentação de resultados

As principais praças dos Estados Unidos começaram a semana a registar uma subida ligeira, numa altura em que os investidores começam a centrar atenções na apresentação de resultados, com as publicações das contas de vários bancos agendadas para o final da semana.

Se a primeira reacção das bolsas à vitória eleitoral de Donald Trump foi de pânico, rapidamente esse sentimento deu lugar à euforia, com os investidores a fazerem contas aos ganhos que a política económica de Donald Trump pode proporcionar. Descida de impostos para as empresas e um forte investimento em infra-estruturas são duas das cenouras que atraem os investidores, mesmo havendo alguma incerteza sobre a capacidade de pôr em prática os ambiciosos planos do Presidente. Desde a tomada de posse, as acções americanas sobem 4%, renovando sucessivos recordes. O que também está a subir são as taxas de juro das obrigações, um movimento que provocou uma reavaliação global dos juros da dívida.
reuters
David Santiago dsantiago@negocios.pt 10 de Abril de 2017 às 14:37
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O índice Dow Jones abriu a sessão desta segunda-feira, 10 de Abril, a subir ténues 0,04% para 20.664,79 pontos, seguido pelo Nasdaq Composite a ganhar 0,10% para 5.883,77 pontos, e o Standard & Poor’s 500 a apreciar 0,06% para 2.356,91 pontos.

 

Nesta altura os investidores norte-americanos começam a olhar com expectativa para a apresentação de resultados referentes ao primeiro trimestre deste ano. Em especial para os resultados dos bancos, sendo que na quinta-feira o JP Morgan, o Citigroup e o Wells Fargo divulgam números dos primeiros três meses.

 

Os investidores pretendem perceber se os robustos resultados do sector financeiro verificados no último trimestre do ano passado continuam a registar-se neste início de 2017.

 

Por outro lado, esta época de apresentação de resultados ajudará também a perceber como é que o sector empresarial reagiu ao ajustar dos mercados face ao optimismo registado nos primeiros meses depois da vitória de Donald Trump nas presidenciais de Novembro do ano passado.

 

O atraso na apresentação do plano económico de cortes fiscais e forte investimento público, aliado à incapacidade da nova administração em aprovar o programa de revogação e substituição do Obamacare, reforçaram as dúvidas em torno da capacidade da administração Trump para colocar no terreno as promessas feitas.

 

Os investidores estarão também atentos à declaração que fará Janet Yellen ao final do dia desta segunda-feira, já depois do encerramento dos mercados. Espera-se que a presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos possa dar informações adicionais sobre a política monetária da Fed, que pretende ainda este ano decretar dois novos aumentos dos juros.

 

A sessão desta segunda-feira assinala ainda a expectativa de perceber como vai Wall Street reagir ao avolumar da tensão entre os Estados Unidos e a Rússia, na sequência do ataque realizado por Washington em resposta ao bombardeamento com agentes químicos executado na semana passada pelas forças leais ao presidente sírio, Bashar al-Assad.

 

Na próxima terça-feira, secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, pisará solo russo para uma reunião com o homólogo russo, Sergey Lavrov. Apesar das intenções anunciadas por Trump de reaproximação face a Moscovo, o primeiro encontro de alto nível diplomático da nova administração americana acontece num momento crítico nas relações entre os Estados Unidos e a Rússia.

A tensão a propósito do conflito geopolítico na Síria juntou-se à criação de empregos abaixo do esperado para na sessão da passada sexta-feira penalizar o sentimento em Wall Street. 

Ver comentários
Saber mais Wall Street Nasdaq Composite Standard & Poor's 500 Dow Jones Donald Trump Fed Rússia
Outras Notícias