Bolsa Wall Street dá tréguas aos receios de guerra comercial

Wall Street dá tréguas aos receios de guerra comercial

As bolsas dos Estados Unidos encerraram com um movimento misto, a darem algumas tréguas aos receios de uma guerra comercial, preferindo esperar por mais pormenores sobre a proposta de Trump de impor tarifas à importação de aço e alumínio.
Wall Street dá tréguas aos receios de guerra comercial
EPA
Carla Pedro 02 de março de 2018 às 21:22

Os mercados accionistas do outro lado do Atlântico fecharam a última sessão da semana a inverterem das quedas dos dias anteriores – jornadas em que os receios em torno dos juros e de uma possível guerra comercial pesaram no sentimento dos investidores.

 

Assim, apesar de o saldo semanal ser negativo, dois dos três principais índices norte-americanos conseguiram terminar hoje no verde: o S&P 500 e o Nasdaq Composite.

 

O Standard & Poor’s 500 somou 0,51% para 2.691,25 pontos, ao passo que o tecnológico Nasdaq Composite avançou 1,08% para se fixar nos 7.257,87 pontos.

 

Em contrapartida, o Dow Jones encerrou a ceder 0,29% para 24.538,06 pontos, depois de ter chegado a cair 1,59% durante a sessão.

 

O presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou ontem que pretende avançar com a imposição de tarifas sobre a importação de aço e alumínio, medida que poderá azedar as relações dos EUA com os seus aliados.

 

Trump referiu que vai assinar formalmente estas medidas na próxima semana, tendo prometido que ficarão em vigor "durante um longo período de tempo". Estas medidas comerciais visam, concretamente, a imposição de tarifas de 25% sobre a importação de aço e de 10% sobre o alumínio que entra no país.

 

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou ainda ontem que a Europa responderá "firmemente" a quaisquer novas tarifas alfandegárias. Hoje, Bruxelas reagiu mais concretamente, falando num "castigo" de 2,8 mil milhões de euros com o aumento dos direitos aduaneiros sobre produtos siderúrgicos, industriais e agrícolas oriundos dos EUA, segundo fontes citadas pelo jornal espanhol Cinco Días.

 

Também a agência Reuters, citando outras fontes europeias, referiu que a UE está a ponderar aplicar tarifas de 25% sobre cerca de 3,5 mil milhões de dólares (2,87 mil milhões de euros) em importações de produtos vindos dos EUA se Trump seguir em frente com o seu plano.

 

Por seu lado, o Fundo Monetário Internacional salientou esta sexta-feira que estas tarifas alfandegárias não só penalizarão os parceiros comerciais fora dos EUA mas também a própria economia do país.

 

Estas declarações intensificaram a ansiedade dos investidores, que no entanto decidiram fechar o dia a "dar tréguas" e a esperar por mais pormenores, na próxima semana, sobre o plano de Trump.

 

Os títulos das grandes fabricantes do sector do aço e alumínio estiveram, à semelhança do que aconteceu na Europa, sob forte pressão na negociação em Wall Street.

 

E também quem depende destes metais esteve a negociar no vermelho, a reflectir as preocupações com eventuais subidas do preço. A Caterpillar, compradora de matérias-primas e forte exportadora de produtos de maquinaria para o sector da construção, fechou a perder 2,56% para 146,38 dólares.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 03.03.2018

É preciso que o Trampa, capitalista de compadrio proteccionista anti-mercado, desapareça de cena. Turn Trump into the new JFK. Make History Happen Again.

comentários mais recentes
BCP os TOUROS vão ENRABAR os ursos 03.03.2018

NA PRÓXIMA SEMANA UM A UM TODOS OS URSOS IRAM SER ENRABADOS PELOS TOUROS O MILENIUM BCP IRÁ FECHAR NA PRÓXIMA SEMANA BEM ACIMA DOS 0.40

Anónimo 03.03.2018

Isto só tem uma resposta e uma consequência para todas as partes envolvidas: automatizar, automatizar, automatizar.

Anónimo 03.03.2018

É preciso que o Trampa, capitalista de compadrio proteccionista anti-mercado, desapareça de cena. Turn Trump into the new JFK. Make History Happen Again.

a FOSUN e a SONANGOL UNIRAM - SE 02.03.2018


QUANDO TIVEREM os 50% do MILENIUM BCP + 1 ação VÃO OPAR O RESTO DO CAPITAL E VÂO GANHAR UMA PIPA DAS GRANDES CHEIAS DE MASSINHAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

pub