Bolsa Wall Street regressa aos ganhos com subida do petróleo

Wall Street regressa aos ganhos com subida do petróleo

As principais praças dos Estados Unidos estão a recuperar das perdas da última sessão beneficiando da valorização do petróleo nos mercados internacionais. Atenuar do receio em torno da disputa comercial EUA-China e movimentos de aquisições também animam Wall Street.
Wall Street regressa aos ganhos com subida do petróleo
Reuters
David Santiago 12 de julho de 2018 às 14:34
O índice Dow Jones abriu a sessão desta quinta-feira, 12 de Julho, a ganhar 0,61% para 24.851,70 pontos, seguido pelo Nasdaq Composite a somar 0,47% para 7.753,227 pontos, e pelo Standard & Poor's 500 a avançar 0,52% para 2.788,48 pontos.

Wall Street regressa assim aos ganhos depois das perdas registadas na última sessão e que foram sobretudo provocadas pela forte desvalorização do petróleo que afundou 6%. Agora é também o comportamento do crude nos mercados internacionais, estando a negociar em alta em Londres e em Nova Iorque, que mais influencia o rumo dos principais índices bolsistas norte-americanos. 

Na capital inglesa, o Brent soma 0,97% para 74,11 dólares por barril e em Nova Iorque o West Texas Intermediate (WTI) aprecia 0,37% para 70,64 dólares. Desta forma, as cotadas que operam no sector petrolífero estão a contribuir decisivamente para o optimismo sentido em Wall Street. A Chevron ganha 0,75% para 124,45 dólares, a Exxon sobe 0,62% para 83,10 dólares e a Marathon Petroleum cresce 0,50% para 70,31 dólares. 

Por outro lado, depois de ontem o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter ameaçado aplicar tarifas adicionais sobre as importações de bens chineses no âmbito da toada resposta e contra-resposta entre Washington e Pequim, esta quinta-feira assiste-se a um desanuviar da tensão quanto à possibilidade de a disputa comercial entre os EUA e a China poder continuar a agravar-se. 

Há ainda dois negócios a apoiar os ganhos nas principais praças norte-americanas. AComcast subiu o preço da oferta pelaSky, oferecendo uma contrapartida de 14,75 libras por acção, avaliando a companhia britânica em 26 mil milhões de libras. Já aBroadcom ofereceu 18,9 mil milhões de dólares para comprar a fabricante de software empresarial CAInc.
Nota positiva para a Delta Air Lines que valoriza 0,32% para 50 dólares por acção depois de os resultados trimestrais apresentados pela operadora aérea terem mostrado que afinal os lucros trimestrais da cotada caíram menos do que estimado pelos analistas. 

Também a contribuir para as subidas registadas em Wall Street estão os dados mais recentes referentes ao mercado laboral norte-americano. Segundo os dados divulgados pelo Departamento do Trabalho dos Estados Unidos, o número de novos pedidos de subsídios de desemprego caiu na semana passada para o nível mais baixo em dois meses. A robustez do mercado de trabalho aliada com as perspectivas de a taxa de inflação na maior economia mundial continuar a crescer tendem a reforçar a intenção da Reserva Federal dos EUA decretar mais duas subidas dos juros até ao final deste ano. 


(Notícia actualizada às 14:47)



pub